Homem armado com faca deixa mortos em quartel de Paris

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 3 de outubro de 2019 as 10:55, por: CdB

Um homem portando uma faca atacou os policiais em uma delegacia em Paris, na França. O esfaqueador foi morto a tiros pelos policiais.

Por Redação, com Sputnik e Reuters – de Paris

Um homem armado com uma faca deixou pelo menos quatro mortos em um ataque na chefia da polícia de Paris nesta quinta-feira, disse uma fonte policial à agência inglesa de notícias Reuters.

Carros de polícia e dos bombeiros em frente a quartel da polícia em Paris
Carros de polícia e dos bombeiros em frente a quartel da polícia em Paris

O responsável pelo ataque também foi morto.

A prefeita de Paris, Anne Hidalgo, confirmou que “diversas pessoas” foram fatalmente feridas.

Segundo o jornal Le Parisien, uma das vítimas faleceu, enquanto a segunda está gravemente ferida. O autor do ataque é um agente administrativo da Inteligência do Departamento de Polícia.

Crime

Além disso, há relatos de uma terceira vítima, que também sofreu ferimentos graves. O procurador da cidade e o ministro do Interior, Christophe Castaner, foram ao local.

Até o momento, as autoridades não comentaram o caso oficialmente e o estado de saúde das demais vítimas é desconhecido.

Segundo as mídias locais, o homem entrou na delegacia de Polícia da capital francesa e começou a atacar os policiais. As causas do ataque ainda são desconhecidas. Uma estação de metrô próxima ao local foi isolada por motivos de segurança.

A área no entorno foi isolada e a estação de metrô mais próxima foi fechada por motivos de segurança, informou a RATP, empresa responsável pelos transportes públicos da cidade, no Twitter.

– Não sabemos seus motivos, não sabemos por que esse colega fez isso – disse Loic Travers, chefe local da Aliança da Polícia, à BFM TV.

– O responsável pelo ataque foi baleado por outro colega – acrescentou Travers.

O presidente Emmanuel Macron deve visitar o local ao longo do dia.

Citada pela rádio Franceinfo, uma autoridade policial disse que o homem tinha problemas com seu supervisor.

– Eu sei que havia tensões entre ele e seu supervisor direto – acrescentando que não julgava ser um ato terrorista.

Um porta-voz da polícia não comentou o assunto.

O ministro do Interior da França, Christophe Castaner, foi até o local para acompanhar  a operação. O presidente do país, Emmanuel Macron, também se deslocou à sede da polícia.

– Paris chora nesta tarde, após este espantoso ataque. O balanço é grave. Vários políciais perderam a vida. Em meu nome e em nome dos parasienses, os meus primeiros pensamentos vão para as famílias das vítimas – destacou no Twitter a prefeita de Paris, Anne Hidalgo.

O ataque

O ataque ocorre no dia seguinte a um protesto que reuniu milhares de policiais em Paris, uma mobilização sem precedentes em quase 20 anos, em meio à inquietação da instituição com o aumento de suicídios e uma iminente reforma previdenciária.

Segundo organizações sindicais, 26 mil pessoas participaram dessa mobilização. Existem quase 150 mil policiais na França.