Hospital de campanha está quase pronto no Rio

Arquivado em: Destaque do Dia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 1 de abril de 2020 as 13:08, por: CdB

A unidade começará a operar quando o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla atingir 70% de sua capacidade de atendimento. Localizado em Acari, na Zona Norte.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

A construção do Hospital de Campanha que receberá casos de coronavírus no Riocentro está 70% concluída, informou nesta quarta-feira a prefeitura do Rio de Janeiro, que prevê a entrega da unidade até o fim da próxima semana.

Unidade deverá ser entregue até o final da próxima semana
Unidade deverá ser entregue até o final da próxima semana

A unidade começará a operar quando o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla atingir 70% de sua capacidade de atendimento. Localizado em Acari, na Zona Norte, o hospital tem sido a unidade de referência na rede municipal para casos de internação por coronavírus.

O Hospital de Campanha no Riocentro terá 500 leitos para pacientes com a doença, sendo 100 deles unidades de terapia intensiva (UTI). Haverá ainda um pequeno centro cirúrgico e 400 leitos de clínica médica.

A administração do hospital de campanha caberá à RioSaúde, empresa municipal que vem assumindo as unidades de saúde cariocas no lugar das organizações sociais. A empresa pública fará uma seleção emergencial para contratar os 1.355 profissionais de saúde que atuarão no Riocentro.

O município do Rio de Janeiro concentra a maior parte dos casos confirmados de coronavírus no Estado. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, são 586 casos confirmados, em um universo de 4.471 casos prováveis na cidade.

Já há registros de casos confirmados em 76 bairros da capital, sendo a Barra da Tijuca o local com maior incidência, com 80 casos, seguida pelo Leblon, com 57, e Copacabana, com 49.

Até as 18h de terça-feira, 28 pessoas estavam em unidades de terapia intensiva da rede municipal por síndrome respiratória aguda.

Lotéricas e igrejas

A prefeitura do Rio de Janeiro se posicionou nesta manhã  sobre decisão do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro que suspendeu o decreto municipal que permitiu o funcionamento de casas lotéricas e lojas de material de construção. Segundo a prefeitura, a Procuradoria Geral do Município ainda não foi notificada da decisão e vai recorrer assim que isso ocorrer.

O executivo municipal também emitiu um esclarecimento sobre outra decisão judicial, do Tribunal Regional Federal da Segunda Região (TRF-II). A segunda instância da Justiça Federal suspendeu a decisão liminar da Justiça Federal de Duque de Caxias, que impedia a classificação de casas lotéricas e igrejas como atividades essenciais, o que se deu por meio do decreto presidencial publicado em 25 de março pelo presidente Jair Bolsonaro.

“Igrejas e lotéricas seguem abertas em todo o território nacional, inclusive no Município do Rio de Janeiro. Isso porque são considerados serviços essenciais, conforme decisão do TRF-II, que manteve em vigor decreto presidencial do dia 25 de março”, explicou a prefeitura.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *