IA: Investidor experiente prevê formação de uma bolha gigantesca

Arquivado em: Destaque do Dia, Manchete, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 10 de julho de 2024 as 12:56, por: CdB

McNamee disse ao mercado norte-americano, que detém a ampla maioria dos recursos na casa dos trilhões de dólares no desenvolvimento da IA, que “há evidências da formação de uma bolha – e, se este for o caso, cedo ou tarde haverá uma correção”, segundo o BJ.

Por Redação – de São Paulo

Na contramão e em alta velocidade, o CEO da Elevation Partners, uma empresa de investimentos em negócios arriscados mas que, quando dão certo, rendem um bom dinheiro (venture capital), sugeriu em entrevista ao canal norte-americano de TV CNBC que, atualmente, não há nada mais tóxico no mercado financeiro do as aplicações em Inteligência Artificial (IA).

IA Generativa
Ainda há muita desconfiança no que diz respeito à Inteligência Artificial, do que se trata e para onde caminha

Roger McNamee, 68, conforme apurou o jornalista Giuliano Guandalini, repórter do site de notícias Brazil Journal (BJ), nesta quarta-feira, disse que o investimento em IA “está sendo feito com base em projeções difíceis de serem avaliadas e com grande chance de não se confirmarem”.

  Os EUA amam manias financeiras — disse o experiente investidor na área de tecnologia, um dos primeiros investidores no Facebook. Antes de fundar a Elevation Partners, McNamee também ajudou a estruturar a Silver Lake Partners, referência no segmento de aplicações inovadoras. Ele também dirigiu o fundo de ciência e tecnologia da T.Rowe Price.

 

Correção

McNamee disse ao mercado norte-americano, que detém a ampla maioria dos recursos na casa dos trilhões de dólares no desenvolvimento da IA, que “há evidências da formação de uma bolha – e, se este for o caso, cedo ou tarde haverá uma correção”, segundo o BJ.

— Não há como saber quando a bolha vai estourar, mas isso vai acontecer. Esteja preparado. Estamos fazendo conjecturas sobre o que essa tecnologia pode fazer, mas não conseguimos comprová-las; e estamos aplicando isso em lugares nos quais talvez elas não funcionem. Se este for o caso, essa mania chegará ao fim, e as maiores ações do S&P 500 serão duramente afetadas — antevê McNamee.

Além das declarações a uma das maiores rede de TV dos EUA, McNamee explicou o que pensa em uma longa mensagem na rede X (ex-Twitter), de propriedade do multibilionário Elon Musk, um dos maiores investidores mundiais em IA. O empresário apurou, ainda, que os investimentos em data centers já somam US$ 100 bilhões até aqui e crescem ao ritmo de US$ 10 bilhões ao mês.

— Os maiores investidores – Microsoft, Nvidia, Google, Amazon, Meta – têm toneladas de dinheiro em caixa e dominam o S&P 500. Se eles estiverem errados, será um desastre para os mercados (acionários) — adverte.

 

Longo prazo

Um relatório da Goldman Sachs divulgado há pouco, segundo o empresário, indica que os investimentos realizados para adquirir ou melhorar ativos de longo prazo (capex) em IA têm sido excessivos. O documento traz, no título, uma pergunta:

GenAI: Too much spend, to little benefit?” (“IA Generativa: Muito gasto para pouco benefício?’ (em tradução livre)”.

— A Goldman não é a primeira firma de Wall Street a mostrar preocupação. O Barclays já fez isso. E a (firma de venture capital) Sequoia também publicou um relatório sobre o capex em IA, dizendo que a indústria precisa de US$ 600 bilhões em receita para justificar o investimento já feito em computação e nuvem,” escreveu McNamee.

 

Energia e água

“Quando empresas como a Sequoia e a Goldman Sachs me dizem que existe uma bolha, eu presto atenção”, acrescentou.

Os motivos para desconfiar acerca do potencial da IA, no entanto, não terminam com a frustração relativa aos gastos em capex. McNamee cita ainda, em seu arrazoado, o uso intensivo de energia e água na produção de processadores e no treinamento dos sistemas de linguagem: “Um relatório sugere que meio litro de água é desperdiçado cada vez que você faz uma pergunta a um chatbot”.

Este seria o principal motivo para, segundo McNamee, acreditar que a IA Generativa está “acelerando a mudança climática”.

 

Segurança

“Microsoft e Google prometeram ser neutras em carbono em 2030, (mas) a pegada de carbono da Microsoft já subiu 30% em dois anos, e a do Google, 45% em cinco anos”, contabiliza.

McNamee cita, ainda, questões relativas aos direitos autorais, privacidade, segurança dos dados e desinformação, que rondam os novos tempos.

Em relação às mentiras divulgadas com o suporte turbinado dos mecanismos inteligentes, de acordo com o investidor, “pessoas serão prejudicadas, e algumas não vão se recuperar”.

“A segurança deveria ser uma prioridade”, concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *