IBGE divulgam resultados da PIA-2003

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado segunda-feira, 12 de maio de 2003 as 12:31, por: CdB

As exportações praticamente dobraram sua importância entre os 100 maiores produtos industriais entre os anos de 1998 e 2001 e os setores de aviões, petróleo e telefones celulares são os maiores responsáveis pelo aumento das vendas. Os dados constam da Pesquisa Industrial Anual por Produto (PIA-Produto), divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Alimentos e combustíveis foram os mais vendidos e exportados em 2001.

A Pesquisa Industrial Anual – Produto realizada pelo IBGE reúne informações sobre a produção, em quantidade e valor, das principais indústrias do País. Em 2001, foram pesquisadas 13,2 mil empresas, 22,3 mil plantas industriais e 3.460 produtos, com cerca de R$ 505 bilhões em volume de vendas – 75% da indústria brasileira.
Em 1998, o grupo dos 100 maiores produtos em produção e exportação representava cerca de 11% do total das vendas industriais. Em três anos, portanto, os produtos de exportação quase dobraram sua importância. O item aviões é o primeiro da pauta de exportação, em 2001, e não figura entre os 100 mais exportados, em 1998. No caso da produção, o setor figura entre os 20 primeiros em valor de vendas em 2001. Já o item Óleos brutos de petróleo não está entre os 100 maiores de 1998, (seja quanto ao volume de vendas ou à exportação), mas aparece como 37º produto mais vendido e o 16º mais exportado, em 2001.

Em 2001, os dez itens mais vendidos representavam 17% do total das vendas da PIA-Produto, enquanto, em 1998, esse percentual era de 13%. Passaram a integrar esse grupo, de 1998 para 2001, os itens: aviões, álcool anidro e hidratado e telefones celulares. Saíram do referido grupo os itens: refrigerantes, medicamentos não-especificados e peças e acessórios para o sistema de motor.
Quanto aos estados, Pará, Paraná e Espírito Santo formam o grupo dos exportadores relativamente mais importantes e São Paulo, Rio de Janeiro e Amazonas estão no grupo dos menos exportadores.