IGP-M passa a subir 0,68% na 1ª prévia de outubro

Arquivado em: Negócios, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 10 de outubro de 2019 as 09:49, por: CdB

Na primeira prévia de outubro, as Matérias-Primas Brutas passaram a subir 1,77%, contra uma queda de 2,37% na leitura do mês anterior.

Por Redação, com Reuters – do Rio de Janeiro

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) passou a avançar 0,68% na primeira prévia de outubro, deixando para trás a deflação de 0,60% no mesmo período do mês anterior, impulsionado pelo atacado com forte retomada da alta nas Matérias-Primas Brutas.

Os dados da Fundação Getulio Vargas (FGV) informados nesta quinta-feira mostraram que o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) subiu 1,02%, depois de deflação de 0,95% no mesmo período de setembro. O IPA mede a variação dos preços no atacado e responde por 60% do índice geral.

A Alimentação registrou queda menos acentuada de 0,45 na primeira prévia de outubro, contra recuo anterior de 0,89
A Alimentação registrou queda menos acentuada de 0,45 na primeira prévia de outubro, contra recuo anterior de 0,89

Na primeira prévia de outubro, as Matérias-Primas Brutas passaram a subir 1,77%, contra uma queda de 2,37% na leitura do mês anterior. O setor foi liderado pelos itens minério de ferro, millho em grão e laranja.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem peso de 30% no índice geral, reduziu a queda no período, recuando 0,01%, contra variação negativa de 0,09% no primeiro decêndio de setembro. A Alimentação registrou queda menos acentuada de 0,45 na primeira prévia de outubro, contra recuo anterior de 0,89.

Leve queda de 0,01% em setembro

Os preços medidos pelo Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) tiveram ligeira queda de 0,01% em setembro, mas ainda assim ganho de fôlego em relação a agosto, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) no dia 27 de setembro.

Em agosto, o IGP-M tinha caído 0,67% contra julho. No acumulado de 2019, o índice avança 4,09% e sobe 3,37% nos últimos 12 meses. Em setembro de 2018, o IGP-M havia se elevado em 1,52% no mês e acumulava alta de 10,04% em 12 meses.

Dentre os três principais subíndices, o de preços ao produtor amplo (IPA) desacelerou a queda para 0,09% em setembro, frente a uma baixa de 1,14% em agosto. Bens Finais (-0,15% em setembro ante -0,48% no mês anterior), Bens Intermediários (de -0,72% para +0,22%) e Matérias-Primas Brutas (de -2,30% para -0,36%) mostraram ganho de fôlego dos preços.

Na contramão, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) teve leve baixa de 0,04% em setembro, após alta de 0,23% em agosto.

Quatro das oito classes de despesa componentes do IPC registraram recuo, com a principal contribuição vindo do grupo Alimentação (de -0,04% para -0,80%).

Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) acelerou a alta para 0,60% em setembro, ante 0,34% no mês anterior, puxado por Mão de Obra (de 0,44% para 0,95%). Materiais e Equipamentos (de 0,22% para 0,17%) e Serviços (de 0,29% para 0,25%) desaceleraram a alta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *