Imigrantes são mortos a tiros na fronteira Turquia-Grécia

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 3 de abril de 2020 as 14:32, por: CdB

Dois imigrantes foram mortos a tiros no mês passado quanto tentavam entrar na Grécia pela Turquia depois que o governo turco “incentivou levianamente” milhares de refugiados a cruzarem a divisa com a Europa.

Por Redação, com Reuters – de Istambul

Dois imigrantes foram mortos a tiros no mês passado quanto tentavam entrar na Grécia pela Turquia depois que o governo turco “incentivou levianamente” milhares de refugiados a cruzarem a divisa com a Europa, denunciou a Anistia Internacional nesta sexta-feira.

Forças de segurança da Grécia em meio a nuvem de gás lacrimogêneo perto da fronteira com a Turquia
Forças de segurança da Grécia em meio a nuvem de gás lacrimogêneo perto da fronteira com a Turquia

Uma terceira imigrante está desaparecida e foi dada como morta depois que soldados gregos dispararam quando ela tentava cruzar um rio para entrar na Grécia, disse o grupo de direitos humanos.

O diretor de pesquisas da Anistia para a Turquia, Andrew Gardner, disse que não há confirmação de quem fez os disparos que mataram os imigrantes, mas que eles foram alvejados em uma área onde agentes de segurança gregos estão presentes, e exortou as autoridades gregas a encontrarem os responsáveis.

A Anistia disse que os esforços da Grécia para reprimir a movimentação dos imigrantes inclui o uso de munição letal. A Grécia rechaçou o relato da Anistia.

Turquia

“A Grécia nega categoricamente o relatório da Anistia Internacional sobre a Turquia, que cita alegações que já foram oficialmente refutadas pelas autoridades gregas. A Grécia nunca usa munição letal”, disse uma autoridade do governo em Atenas.

Dezenas de milhares de imigrantes tentaram entrar na Grécia, país-membro da União Europeia, desde que Ancara disse no dia 28 de fevereiro que não os impedirá mais de fazê-lo, como acertado em um acordo de 2016 com Bruxelas em troca de ajuda europeia para os refugiados sírios.

A Turquia, que abriga cerca de 3,6 milhões de sírios, a maior população de refugiados do mundo, suspendeu as restrições para os imigrantes por ter ficado alarmada com a perspectiva de outra onda de refugiados em fuga da guerra no noroeste da Síria.

A corrida à fronteira, que a Anistia disse ser facilitada pela Turquia, provocou uma reação forte das forças de segurança gregas. As autoridades gregas rejeitaram enfaticamente as acusações turcas de que suas forças mataram imigrantes na fronteira, assim como o disparo de munição letal.

A tensão

A tensão na divisa diminuiu bastante desde que o surto do novo coronavírus induziu a Turquia a fechar suas fronteiras com a Grécia e a Bulgária.

A Anistia disse que, de acordo com autoridades turcas, na semana passada cerca de 5,8 mil pessoas foram retiradas de campos de refugiados informas perto da passagem fronteiriça de Pazarkule, onde a maioria dos choques entre imigrantes e forças de segurança ocorreu no início de março.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *