Incêndios na Austrália impulsionam níveis de CO2 na atmosfera

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 24 de janeiro de 2020 as 12:50, por: CdB

Segundo especialistas, fogo contribuirá para um dos maiores aumentos na concentração de dióxido de carbono em seis décadas. Níveis são similares ao existente entre 3 e 5 milhões de anos atrás.

Por Redação, com DW – de Sydney

Os incêndios florestais na Austrália têm contribuído para um dos maiores aumentos dos níveis de dióxido de carbono (CO2) registrado na atmosfera da Terra desde o início da medição há mais de 60 anos, afirmou nesta sexta-feira o Departamento de Meteorologia do Reino Unido (Met Office).

Foto de satélite mostra nuvem de fumaça que cobre parte do sudeste da Austrália
Foto de satélite mostra nuvem de fumaça que cobre parte do sudeste da Austrália

“Uma previsão da concentração atmosférica de CO2 mostra que 2020 testemunhará um dos maiores aumentos anuais desde os inícios das medições em Mauna Loa, no Havaí, em 1958”, disse o departamento em um comunicado.

O Met Office afirmou que os níveis de CO2 na atmosfera devem superar 417 partes por milhão (ppm) em maio, com a média para 2020 prevista para ser 414.2 ± 0,6ppm. Essa concentração estimada ultrapassa a média registrada de 2019, que ficou em 2.74 ± 0,57ppm.

As concentrações de CO2 previstas são similares a existente na atmosfera da Terra entre 3 e 5 milhões de anos atrás, afirmaram os cientistas. Naquela época, o nível do mar era de 10 a 20 metros mais alto do que atualmente e as temperaturas cerca de 2ºC e 3ºC mais quentes.

O aumento das emissões de gases de efeito estufa contribui para o aquecimento global, o que é visto como um dos principais fatores que impulsionam os incêndios na Austrália. Os incêndios florestais queimaram enormes extensões de terra no sudeste do país e mataram ao menos 31 pessoas desde setembro.

Busca por corpos de bombeiros norte-americanos

Três bombeiros americanos morreram na quinta-feira quando o avião C-130 Hercules em que estavam caiu no estado de Nova Gales do Sul, no sudeste do país, pouco depois de despejar um retardador de chamas na região Snowy Montano.

Uma equipe está trabalhando para recuperar os corpos das vítimas, segundo o comissário-chefe do Departamento de Segurança dos Transportes da Austrália, Greg Hood.

Ele afirmou que é difícil recolher provas do acidente e recuperar os restos mortais dos três bombeiros devido ao incêndio que consome a região do acidente. A presença de combustível do avião representa ainda um risco adicional.

A governadora do Estado de Nova Gales do Sul, Gladys Berejiklian, contou que será realizada uma cerimônia em memória dos três norte-americanos e de outros três bombeiros voluntários australianos que morreram lutando contra a atual onda de incêndios.

Ela disse que mais de 1,7 mil voluntários e outros funcionários estão atualmente combatendo as chamas, com cinco incêndios em um nível de “alerta de emergência” no Estado e próximos da capital do país, Canberra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *