Indonésia encontra segunda caixa-preta de avião da Lion Air

Arquivado em: Ásia, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 14 de janeiro de 2019 as 11:32, por: CdB

A queda foi a primeira da história envolvendo um avião 737 MAX da Boeing e a mais letal de 2018, e a recuperação da segunda caixa-preta da aeronave nesta segunda-feira pode fornecer mais detalhes sobre as últimas ações dos pilotos.

Por Redação, com Reuters – de Jacarta

Autoridades da Indonésia irão recuperar nesta segunda-feira o conteúdo de um gravador de voz da cabine de comando de um avião da Lion Air que caiu há mais de dois meses, matando todas as 189 pessoas a bordo, depois que o dispositivo foi recuperado do fundo do mar perto de Jacarta.

Comandante da Marinha da Indonésia, almirante Yudo Margono, segura caixa-preta de avião da Lion Air encontrada por mergulhadores

A queda foi a primeira da história envolvendo um avião 737 MAX da Boeing e a mais letal de 2018, e a recuperação da segunda caixa-preta da aeronave nesta segunda-feira pode fornecer mais detalhes sobre as últimas ações dos pilotos.

– Nós temos nosso próprio laboratório e pessoal para fazê-lo – disse à agência inglesa de notícias Reuters Haryo Satmiko, vice-chefe do comitê de segurança de transportes.

Satmiko disse que, no passado, o processo de recuperar, analisar e transcrever os conteúdos dos gravadores já durou até três meses.

O contato com o voo JT610 foi perdido 13 minutos depois que a aeronave decolou da capital Jacarta, no dia 29 de outubro, a caminho da cidade de Pangkal Pinang.

Relatório

Um relatório preliminar do comitê de segurança de transportes da Indonésia focou em questões como a manutenção e treinamento da companhia aérea, assim como a resposta de um sistema antiparalisação da Boeing e a recente substituição de um sensor da aeronave, mas não determinou a causa da queda.

Um grupo de familiares de vítimas do incidente pediu que o  comitê de segurança de transportes revele “tudo que foi gravado” e que trabalhe de maneira independente.

O oficial da Marinha tenente-coronel Agung Nugroho disse à Reuters que um fraco sinal do gravador foi identificado diversos dias atrás e que o dispositivo foi encontrado enterrado no solo marinho a cerca de 30 metros de profundidade.

– Nós não sabemos qual dano existe, mas há óbvios arranhões nele – disse Nugroho.

Imagens fornecidas por uma autoridade da agência de transportes mostrou a tinta laranja do gravador lascada, mas nenhum grande dano aparente.

A Boeing não respondeu de imediato a pedido por comentário.

Desde o incidente, a companhia aérea Lion Air tem enfrentado inspeção de seus padrões de manutenção e treinamento e parentes de vítimas apresentaram ao menos três processos contra a Boeing.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *