Indonésia pretende iniciar vacinação na próxima semana 

Arquivado em: Ásia, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 4 de janeiro de 2021 as 10:45, por: CdB

O programa de vacinação em massa contra a covid-19 na Indonésia começará na semana que vem, disse nesta segunda-feira um ministro de alto escalão, a depender da autorização da agência regulatória de alimentos e medicamentos do país (BPOM), e 700 mil doses do imunizante já foram amplamente distribuídas pelo país.

Por Redação, com Reuters – de Jacarta

O programa de vacinação em massa contra a covid-19 na Indonésia começará na semana que vem, disse nesta segunda-feira um ministro de alto escalão, a depender da autorização da agência regulatória de alimentos e medicamentos do país (BPOM), e 700 mil doses do imunizante já foram amplamente distribuídas pelo país.

Funcionário transporta caixa com vacinas da Sinovac contra covid-19 em Semarang, na Indonésia
Funcionário transporta caixa com vacinas da Sinovac contra covid-19 em Semarang, na Indonésia

A Indonésia, que enfrenta um dos surtos de coronavírus mais persistentes da Ásia, garantiu 329 milhões de doses de vacinas contra a covid-19, principalmente da Pfizer e da sua parceira BioNTech, e da AstraZeneca.

As doses que serão usadas na primeira fase da vacinação são as da chinesa Sinovac, cujo imunizante foi batizado de CoronaVac.

O ministro-chefe da Economia da Indonésia, Airlangga Hartarto, disse que a campanha de vacinação em massa está agendada para começar na semana que vem, dependendo de dados da BPOM, que ele disse incluir conclusões de testes feitos com a vacina no Brasil e na Turquia.

CoronaVac

A farmacêutica estatal indonésia Bio Farma já enviou 714 mil doses da CoronaVac às 32 províncias do país, disse a companhia em comunicado nesta segunda. Até agora a Indonésia recebeu 3 milhões de doses da vacina da Sinovac.

O secretário corporativo da Bio Farma, Bambang Heriyanto, disse à agência inglesa de notícias Reuters que as vacinas foram pré-posicionadas para economizar tempo e permitir que a aplicação comece assim que a BPOM der a autorização.

Uma porta-voz da BPOM mencionou à Reuters uma entrevista coletiva do governo marcada para esta segunda quando questionada sobre o cronograma de vacinação.