Infecções pelo coronavírus caem 30% com lockdown na Inglaterra, diz estudo

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 30 de novembro de 2020 as 10:35, por: CdB

Pesquisa do Imperial College indica sucesso do segundo confinamento nacional para conter a covid-19, iniciado há quase um mês. País deve retornar a regime de regras regionais nesta quarta-feira.

Por Redação, com DW – de Londres

O número de infecções por covid-19 caiu 30% durante o lockdown nacional de um mês da Inglaterra, aponta um estudo realizado com mais de 100 mil voluntários e divulgado nesta segunda-feira.

Profissional de saúde realiza teste de covid-19 na Inglaterra
Profissional de saúde realiza teste de covid-19 na Inglaterra

A Inglaterra iniciou seu segundo confinamento nacional em 5 de novembro para tentar conter o rápido aumento do número de infecções e poupar seu sistema de saúde. O país deve retornar a uma abordagem regional das restrições nesta quarta-feira.

Os níveis de infecção caíram 30%, com 96 pessoas em 10 mil sendo infectadas entre 13 e 24 de novembro, de acordo com resultados preliminares do estudo realizado pelo Imperial College London e o instituto de pesquisas Ipsos Mori.

A pesquisa anterior, realizada entre 16 de outubro e 2 de novembro, mostrou 130 infecções em 10 mil pessoas.

“Os resultados mostram que os casos aumentavam quando o país entrou em lockdown, mas isso foi seguido por uma diminuição, pois as medidas reduziram com sucesso as taxas de infecção em todo o país”, diz um comunicado do departamento de saúde britânico.

Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte têm autonomia para decidir suas próprias medidas de combate à pandemia de coronavírus.

Johnson é alvo de críticas

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, é alvo de críticas vindas de seu próprio partido por causa da sua decisão de determinar o lockdown. Alguns correligionários afirmaram que a medida era uma violação desnecessária das liberdades civis. Já o oposicionista Partido Trabalhista criticou a reação como tardia.

Embora as autoridades britânicas afirmem que as taxas da doença ainda são altas, elas apontam haver uma queda acentuada de contágios em várias áreas do norte da Inglaterra, que entrarão em um nível mais severo de restrições na próxima semana.

Isso pode alimentar ainda mais a inquietação dentro do próprio Partido Conservador de Johnson, onde muitos legisladores estão insatisfeitos com um sistema que coloca mais de um terço da população sob amplas restrições na vida diária.

As medidas devem ser colocadas em votação nesta terça-feira, quando Johnson pode enfrentar o constrangimento político de ter que depender de votos da oposição para aprovar as novas regras.

Em entrevista nesta segunda-feira à emissora Sky News, o ministro britânico do Meio Ambiente, George Eustice, afirmou que há uma “grande frustração” entre os conservadores por causa da gestão de pandemia do premiê britânico. Segundo ele, até 100 legisladores do Partido Conservador podem oferecer resistência ao sistema escalonado que deve substituir a partir de quarta-feira, através de medidas regionais, o lockdown nacional na Inglaterra.