Instagram suspende aba ‘Recent’ nos EUA para impedir notícias eleitorais falsas

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Redes Sociais, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 30 de outubro de 2020 as 13:10, por: CdB

O Instagram, do Facebook, informou na quinta-feira que estava fazendo alterações em sua plataforma nos EUA para evitar a disseminação de desinformação em torno da eleição presidencial de 3 de novembro.

Por Redação, com Reuters – de São Francisco

O Instagram, do Facebook, informou na quinta-feira que estava fazendo alterações em sua plataforma nos EUA para evitar a disseminação de desinformação em torno da eleição presidencial de 3 de novembro.

O Instagram, do Facebook, informou na quinta-feira que estava fazendo alterações em sua plataforma nos EUA
O Instagram, do Facebook, informou na quinta-feira que estava fazendo alterações em sua plataforma nos EUA

Para usuários nos Estados Unidos, o Instagram removerá temporariamente a aba “Recent” das páginas de hashtag a partir da última quinta-feira, informou em comunicado no Twitter.

“Estamos fazendo isso para reduzir a disseminação em tempo real de conteúdo potencialmente prejudicial que pode surgir durante a eleição”, acrescentou o comunicado.

A aba “Recent”

A aba “Recent” do Instagram organiza as hashtags em ordem cronológica e amplia a distribuição do conteúdo. Pesquisadores alertaram que essa amplificação automática pode levar à rápida disseminação de informações incorretas na plataforma.

A medida ocorre no momento em que as empresas de mídia social enfrentam uma pressão crescente para combater a desinformação relacionada às eleições e se preparam para a possibilidade de violência ou intimidação nas urnas perto das votações de 3 de novembro.

No início deste mês, o Twitter disse que removerá os tuítes que pedem aos usuários que interfiram no processo eleitoral dos EUA ou na cumprimento dos resultados eleitorais, inclusive por meio de violência.

Partidos Republicano e Democrata

Separadamente, na quinta-feira, o Facebook reconheceu que um erro técnico em seus sistemas fez com que uma série de anúncios dos partidos Republicano e Democrata fossem pausados indevidamente.

Foi o resultado de uma mudança de política anunciada pelo Facebook no mês passado para bloquear novos anúncios políticos na semana anterior às eleições. O Facebook disse que fez atualizações para permitir a exibição dos anúncios afetados.