Irã diz que impediu ataque cibernético lançado por governo estrangeiro

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 11 de dezembro de 2019 as 12:06, por: CdB

O Irã impediu um grande ataque cibernético à sua infraestrutura que fora lançado por um governo estrangeiro, disse o ministro iraniano das Telecomunicações.

Por Redação, com Reuters – de Dubai

O Irã impediu um grande ataque cibernético à sua infraestrutura que fora lançado por um governo estrangeiro, disse o ministro iraniano das Telecomunicações, Mohammad Javad Azari-Jahromi, nesta quarta-feira, dois meses após relatos de uma operação cibernética dos Estados Unidos contra o país.

Irã diz que impediu ataque cibernético de larga escala lançado por governo estrangeiro
Irã diz que impediu ataque cibernético de larga escala lançado por governo estrangeiro

Autoridades norte-americanas disseram à agência inglesa de notícias Reuters em outubro que os EUA haviam realizado um ataque cibernético secreto contra o Irã após os ataques de 14 de setembro às instalações petrolíferas sauditas, que Washington e Riad atribuíram a Teerã.

O Irã negou envolvimento no episódio, que foi reivindicado pelo movimento houthi do Iêmen, alinhado ao Irã.

Infraestrutura digital

– Recentemente enfrentamos um ataque altamente organizado e patrocinado pelo Estado contra nossa infraestrutura digital que foi… repelido pelo escudo de segurança do país – disse o ministro da Informação e Tecnologia das Comunicações do Irã, segundo a agência Mehr.

– Foi um ataque muito extenso – acrescentou, indicando que mais detalhes seriam revelados posteriormente.

Não ficou claro se Azari-Jahromi se referia ao ataque cibernético dos EUA, que autoridades norte-americanas disseram ter ocorrido em setembro e visar à habilidade do Teerã de disseminar “propaganda”.

Questionado sobre a reportagem da Reuters sobre o ataque cibernético, o ministro alegou que “eles devem ter sonhado com isso”.

O Irã tem estado em alerta sobre a ameaça de ataques cibernéticos do exterior. Os Estados Unidos e Israel sabotaram secretamente o controverso programa nuclear iraniano em 2009 e 2010 com o vírus de computador Stuxnet, que destruiu várias centrífugas que enriqueciam urânio.

As tensões no Golfo Pérsico aumentaram acentuadamente desde que o presidente dos EUA, Donald Trump, retirou-se no ano passado do acordo nuclear do Irã com as potências mundiais e restabeleceu sanções comerciais e financeiras contra Teerã.