Irã desenvolve seu próprio sistema de detecção rápida do coronavírus

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado domingo, 5 de abril de 2020 as 12:03, por: CdB

Enquanto EUA recusam levantar as sanções contra o Irã em meio ao surto de coronavírus, os iranianos são forçados a lutar contra o vírus por si só, sem apoio internacional.

Por Redação, com Sputnik – de Teerã

Enquanto EUA recusam levantar as sanções contra o Irã em meio ao surto de coronavírus, os iranianos são forçados a lutar contra o vírus por si só, sem apoio internacional.

Os iranianos são forçados a lutar contra o vírus por si só, sem apoio internacional
Os iranianos são forçados a lutar contra o vírus por si só, sem apoio internacional

A República Islâmica desenvolveu o seu próprio software, que utiliza a inteligência artificial na análise de tomografias computadorizadas dos pulmões para detectar rapidamente a Covid-19 em pacientes, informou o Governo iraniano no sábado.

A tecnologia

A tecnologia permite aos médicos ver instantaneamente as imagens dos pulmões que possam estar infectados, enquanto antes os profissionais de saúde tinham que fazer a análise manualmente, de acordo com o vice-presidente iraniano para Ciência e Tecnologia, Sorena Sattari.

– (…) Quando temos um grande número de pessoas nos hospitais ou não temos acesso a um radiologista, este sistema pode ajudar, como se fosse um médico. A ferramenta pode ser usada como uma técnica remota e está à frente de todas as outras versões do mundo – avançou o diretor da Sede Nacional de Operações contra o coronavírus, Alireza Zali, escreve a Iran Press.

No sábado o Irã revelou o software de inteligência artificial, de produção nacional, que ajuda os médicos a diagnosticar o novo coronavírus analisando as imagens das tomografias computadorizadas.

A ferramenta inovadora foi desenvolvida em apenas um mês graças aos esforços conjuntos de universidades iranianas.

Devido às sanções impostas pelos EUA, o Irã registra escassez de equipamentos médicos essenciais, fazendo com que Teerã procurasse apoio de várias organizações internacionais solicitando a revogação das restrições econômicas.

O secretário-geral adjunto das Nações Unidas para Assuntos Humanitários, Mark Lowcock, e o presidente da Assembleia Geral da ONU,Tijjani Muhammad-Bande, exortaram os EUA a atenuarem as sanções durante o surto do novo coronavírus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *