Irã inaugura unidade de produção de centrífugas nucleares

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 7 de junho de 2018 as 15:25, por: CdB

A medida foi anunciada num momento em que potências europeias lutam para salvar o acordo internacional que restringiu o programa de enriquecimento nuclear iraniano

Por Redação, com DW – de Teerã:

Dentro de um mês, o Irã deve começar a produzir centrífugas para o enriquecimento de urânio numa nova instalação na usina nuclear de Natanz, afirmou a Organização de Energia Atômica do Irã na quarta-feira.

Nova instalação nuclear foi unaugurada na usina de Natanz, no centro do Irã

A medida foi anunciada num momento em que potências europeias lutam para salvar o acordo internacional; que restringiu o programa de enriquecimento nuclear iraniano, após o presidente americano, Donald Trump, anunciar a retirada dos EUA do pacto.

No acordo nuclear de 2015, assinado entre Teerã e o chamado Grupo P5+1 (Estados Unidos, China, Rússia, Reino Unido, França e Alemanha), as potências mundiais impuseram severas restrições ao programa de enriquecimento de urânio em troca da suspensão de sanções internacionais. No entanto, a inauguração de uma instalação para produzir centrífugas avançadas na usina de Natanz, no centro do Irã, não viola o pacto.

Na terça-feira, o Irã comunicou à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) que aumentaria sua capacidade de enriquecimento de urânio dentro dos limites estabelecidos no acordo de 2015. A medida é vista como um sinal de Teerã de que não se curvaria aos EUA, que exigiram maiores restrições ao programa nuclear iraniano.

EUA

A saída dos EUA do acordo, anunciada em maio, também aumentou a pressão sobre os três signatários europeus – Alemanha, França e Reino Unido –, que têm lutado para manter o pacto vivo. A tarefa tem se mostrado cada vez mais difícil à medida que as empresas europeias abandonam o Irã, em meio a preocupações de que possam ser alvo de sanções americanas.

Enquanto isso, o embaixador do Irã na AIEA, Reza Najafi, alertou que o país poderia reiniciar o enriquecimento irrestrito caso as potências europeias não mantivessem o acordo intacto.

– Se numa situação lamentável o acordo nuclear falhar, o Irã poderá reiniciar suas atividades sem qualquer limite – disse Najafi. “O que posso dizer é que, neste momento, as negociações no nível de especialistas continuam, e esperamos que possam chegar a uma conclusão.”

França

O ministro do Exterior da França, Jean-Yves Le Drian, reagiu à ameaça iraniana de enriquecer urânio além dos limites do acordo afirmando que “é sempre perigoso flertar com as linhas vermelhas”.

Najafi também afirmou que o Irã não atenderá aos pedidos da AIEA para cooperar de maneira mais próxima com os inspetores nucleares. “Mas devo enfatizar que isso não significa que o Irã reinicie agora qualquer atividade contrária ao acordo. Trata-se apenas trabalhos preparatórios”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *