Irã não obterá bomba nuclear mesmo saindo de acordo, diz Tamir Hayman

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 5 de junho de 2019 as 13:27, por: CdB

No dia 8 de maio de 2018, o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou a saída de Washington do JCPOA e restabeleceu sanções abrangentes a Teerã.

Por Redação, com Sputnik – de Jerusalém

O chefe da Inteligência Militar de Israel, major-general Tamir Hayman, alegou que Teerã não conseguirá obter uma arma nuclear mesmo que abandone o acordo nuclear de 2015 em meio à pressão dos EUA.

Inteligência de Israel: Irã não obterá bomba nuclear mesmo saindo de acordo nuclear

– O Irã está sendo pressionado como nunca antes e de todas as direções pelas as sanções dos EUA – disse Hayman a repórteres no Centro de Patrimônio e Comemoração da Inteligência de Israel, em Tel Aviv.

Ele não esclareceu se o fracasso poderia ser causado pela demora do Irã na criação de bomba atômica devido ao risco de intervenção global, um ataque preventivo ou um contratempo científico. As autoridades iranianas ainda não comentaram a declaração.

As palavras de Hayman surgem algumas semanas depois que a agência de notícias Tasnim citou um funcionário não identificado da usina nuclear de Natanz, dizendo que a taxa de enriquecimento de urânio do Irã havia quadruplicado após a suspensão de Teerã de algumas de suas obrigações com o acordo nuclear, também conhecido como o Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA).

No dia 8 de maio de 2018, o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou a saída de Washington do JCPOA e restabeleceu sanções abrangentes a Teerã, incluindo sanções secundárias contra empresas e instituições financeiras de países que possuem relações comerciais com a República Islâmica. Irã, China, Alemanha, França, Rússia, Reino Unido e a União Europeia reafirmaram cumprimento do acordo após a saída dos EUA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *