Iraque acusa EUA de usarem bombas de fragmentação

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado quinta-feira, 3 de abril de 2003 as 10:58, por: CdB

O ministro da Informação do Iraque, Mohammed Said al Sahhaf, disse que os bombardeios realizados pelos aliados esta manhã sobre Bagdá e nos arredores da cidade deixaram 27 mortes e 193 feridos entre civis. Al Sahhaf disse que, entre eles, 14 morreram após os aliados terem derrubado bombas de fragmentação (cluster) sobre a área residencial Douri; 66 teriam ficado feridos.

Questionado sobre o paradeiro da Guarda Republicana, o Ministro disse também que a Guarda Republicana de Saddam Hussein está movendo-se “como cobra no deserto” e que não tem local fixo. O Ministro reiterou afirmações dos últimos dias de que os aliados estão vendendo ilusões e que não têm controle sequer do porto de Um Qasr.

Guarda Republicana move-se para o sul de Bagdá

Quatro divisões da Guarda Republicana moveram-se ao sul de Bagdá nesta quinta-feira para combater com as tropas norte-americanas, a medida que aproximam-se da capital e de seu aeroporto, disseram oficiais militares dos EUA. Washington informou que duas das divisões que vinham bloqueando o avanço das forças dos EUA para Bagdá foram destruídas e colocadas fora de ação.

O Iraque negou que as forças iraquianas de elite tivessem sofrido perdas. “As divisões Bagdá e Medina, da Guarda Republicana, perderam o poder de combate”, disse o capitão Frank Thorp, do Comando Central dos EUA em Catar. “Temos informações de que membros de outras quatro divisões movem-se ao sul. Ainda não houve qualquer confronto direto com as divisões da Guarda Republicana como um todo”, acrescentou.

Forças especiais entraram em palácio próximo a Bagdá

As forças especiais dos EUA entraram em instalações nas proximidades de Bagdá durante à noite, incluindo um palácio, de acordo com o capitão Frank Thorp.

“Nesta noite, as forças especiais nos arredores de Bagdá conseguiram chegar a vários locais importantes, entre eles, um palácio, onde as forças especiais conseguiram entrar, dar uma olhada e voltar”, disse. Ele acrescentou que as forças especiais conseguiram evitar que as tropas iraquianas explodissem várias pontes.