Iraque condena alemã que pertencia ao Estado Islâmico à morte

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado domingo, 21 de janeiro de 2018 as 12:24, por: CdB

Tribunal de Bagdá declara mulher culpada por dar apoio logístico ao “Estado Islâmico” em atentados e participar de ataques contra forças iraquianas. Ela havia levado suas duas filhas, que se casaram com membros do grupo

Por Redação, com DW – de Berlim:

Um tribunal de Bagdá condenou à morte uma alemã de origem marroquina por pertencer ao grupo jihadista “Estado Islâmico” (EI). Ela é a primeira mulher europeia sentenciada com a pena capital no Iraque.

Policial patrulha Tribunal de Justiça em Bagdá, capital do Iraque

Lamia K. confessou que viajou da Alemanha à Síria e depois ao Iraque em companhia de suas duas filhas, que se casaram com membros do EI, segundo informou o porta-voz do Conselho Supremo – a máxima autoridade judicial no Iraque –, o juiz Abdul-Sattar Bayrkdar. 

A alemã, que deverá ser enforcada, foi declarada culpada na quinta-feira; por proporcionar apoio logístico ao grupo para ajudar em seus atentados; bem como por participar de ataques contra forças militares e de segurança iraquianas. O veredito poderá ser ainda apelado.

O ministério do Exterior alemão foi informado sobre o caso na semana passada; e o embaixador alemão em Bagdá manifestou seu protesto no Departamento Europeu do Ministério das Relações Exteriores do Iraque.

Pena de morte

Em 12 de setembro, um jihadista russo foi condenado à pena de morte por um tribunal iraquiano por pertencer ao EI e realizar “operações terroristas” contra as forças iraquianas em Mossul; a cidade mais populosa que o grupo chegou a controlar.

Em dezembro, o premiê iraquiano, Haidar al-Abadi, anunciou o final da guerra contra o EI no país; que durou três anos depois que o grupo conquistou quase a metade do território iraquiano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *