Irmã de Kim adverte Seul sobre consequências da propaganda contra Pyongyang

Arquivado em: América do Norte, Ásia, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado domingo, 2 de maio de 2021 as 10:55, por: CdB

Kim Yo-jong, irmã do líder da Coreia do Norte, avisou a Coreia do Sul de que sua recente incapacidade em impedir os desertores norte-coreanos de espalharem panfletos de propaganda anti-Pyongyang terá consequências.

Por Redação, com Sputnik – de Seul

Kim Yo-jong, irmã do líder da Coreia do Norte, avisou a Coreia do Sul de que sua recente incapacidade em impedir os desertores norte-coreanos de espalharem panfletos de propaganda anti-Pyongyang terá consequências.

Irmã de Kim Jong-un adverte Coreia do Sul sobre consequências da propaganda contra Pyongyang

– Consideramos as ações cometidas pela escória humana do Sul [referência aos desertores] uma séria provocação contra o nosso Estado e vamos refletir sobre as medidas a tomar em resposta – afirmou Yo-jong, citada pela mídia estatal norte-coreana KCNA.

As suas advertências vêm depois que um grupo chamado Combatentes por uma Coreia do Norte Livre afirmar que havia enviado cerca de 500 mil folhetos com 500 livretos e 5 mil cédulas de US$ 1 para a Coreia do Norte em 10 balões através de uma área da fronteira não identificada, embora esteja em vigor na Coreia do Sul a proibição de enviar folhetos através da fronteira.

– Já alertamos seriamente as autoridades sul-coreanas sobre as consequências do seu ato errado de dar autorização silenciosa às ações selvagens da escória humana para as relações entre as Coreias – acrescentou.

A proibição de enviar folhetos

A proibição de enviar folhetos foi implementada para acalmar as tensões entre Pyongyang e Seul. O Ministério da Unificação de Seul instou os opositores residentes na Coreia do Sul a observarem esta proibição a fim de proteger a segurança e a vida dos cidadãos que moram nas zonas fronteiriças.

Em relação aos EUA, o Ministério da Coreia do Norte disse que para Washington a diplomacia era uma forma de “encobrir seus atos hostis”.

Anteriormente, o presidente dos EUA Joe Biden em seu discurso ao Congresso declarou que usaria “a diplomacia e também severa dissuasão” para conter as ambições nucleares da Coreia do Norte.