Israel anuncia testes de sistema de defesa antimíssil avançado

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 22 de janeiro de 2019 as 15:27, por: CdB

Nesta terça-feira, o Ministério da Defesa de Israel chamou os testes do míssil antibalístico exoatmosférico Arrow 3 (Seta 3) de “acontecimento importante” para a capacidade israelense de se defender contra “ameaças existentes e futuras na região”.

 

Por Redação, com Sputnik – de Jerusalém

Israel anunciou ter testado com êxito o sistema de defesa antimíssil Arrow 3, capaz de interceptar mísseis balísticos fora de atmosfera, comunicou o jornal The Times of Israel.

Israel anuncia testes bem-sucedidos de sistema de defesa antimíssil avançado

Nesta terça-feira, o Ministério da Defesa de Israel chamou os testes do míssil antibalístico exoatmosférico Arrow 3 (Seta 3) de “acontecimento importante” para a capacidade israelense de se defender contra “ameaças existentes e futuras na região”.

O Arrow-3 é parte do sistema de vários níveis desenvolvido por Israel para se defender de foguetes e mísseis de curto e médio alcance lançados da Faixa de Gaza e do Líbano, bem como de mísseis iranianos de longo alcance. Ele já incorpora os sistemas Iron Dome, David’s Sling e Arrow-2, comunicou o jornal.

O Arrow-3 foi elaborado pela empresa Israel Aerospace Industries, fabricante israelense de aeronaves militares e civis, e pela corporação norte-americana Boeing. O míssil se tornou operacional em janeiro de 2017. Israel já posicionou o Arrow para resistir aos mísseis sírios.

O teste do Arrow 3 teve lugar apenas um dia depois do ataque israelense contra supostos alvos iranianos no território sírio.

Irã

Os comentários do secretário do Conselho Supremo de Segurança Nacional do Irã apareceram no mesmo dia em que Israel efetuou uma série de ataques contra supostos objetivos iranianos na Síria.

Ali Shamkhani, secretário do Conselho Supremo de Segurança Nacional do Irã, disse em uma entrevista, publicada pela agência de notícias Mehr, que Teerã continuaria apoiando a Síria enquanto Damasco precisar de sua ajuda na luta contra o terrorismo.

– Nós rejeitamos a interferência nos assuntos internos de outros países e com certeza nós não permitiremos que alguém intervenha nos nossos assuntos internos. Então, a pedido dos governos do Iraque e da Síria, nós fomos a esses países e combatemos o Daesh e a Frente al-Nusra (grupos terroristas proibidos na Rússia e em vários outros países) – declarou.

O alto responsável sublinhou que, em vez de “exportar o terrorismo à Síria”, as nações ocidentais devem deixar o povo sírio decidir seu futuro.

A entrevista de Ali Shamkhani foi publicada no mesmo dia em que Israel anunciou ter realizado o segundo ataque aéreo em dois dias contra supostos alvos iranianos na Síria.

As Forças de Defesa de Israel (IDF, da sigla em inglês) escreveram no Twitter que tinham atacado supostas localizações militares iranianas, inclusive “instalações da (unidade especial do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica do Irã) Força Quds, armazéns de armas, principalmente na área do Aeroporto Internacional de Damasco, um centro de inteligência iraniano, um campo de treinamento iraniano” na Síria.

Os ataques aéreos foram realizados como resposta ao lançamento de um míssil do território sírio contra o norte das Colinas de Golã. As IDF afirmaram que o sistema de defesa aérea Iron Dome interceptou o míssil.

Posteriormente, a Rússia declarou que as forças sírias derrubaram mais de 30 mísseis de cruzeiro e bombas guiadas, repelindo o ataque que resultou em 4 militares sírios mortos e 6 feridos.

Israel declarou repetidamente estar preocupado com a alegada presença militar iraniana na Síria, enquanto Teerã sublinhou consistentemente que apenas tem providenciado consultores militares à Síria para a ajudar na luta contra o terrorismo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *