Itália estuda permitir livre circulação de pessoas a partir de junho

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 15 de maio de 2020 as 10:45, por: CdB

A Itália foi o primeiro país europeu a impor restrições rígidas de âmbito nacional em março na tentativa de conter a doença, e agora as está suspendendo lentamente devido à queda no número de casos novos.

Por Redação, com Reuters – de Roma

A Itália se prepara para permitir a livre circulação dentro do país a partir de 3 de junho, de acordo com um projeto de decreto visto pela agência inglesa de notícias Reuters nesta sexta-feira, depois que o governo decidiu relaxar o isolamento do coronavírus e reativar a economia.

Praia de Castiglione della Pescaia, na Itália
Praia de Castiglione della Pescaia, na Itália

A Itália foi o primeiro país europeu a impor restrições rígidas de âmbito nacional em março na tentativa de conter a doença, e agora as está suspendendo lentamente devido à queda no número de casos novos.

O projeto de decreto, que se espera ser aprovado ainda nesta sexta-feira, mas ainda pode ser modificado, diz que toda a movimentação dentro de regiões diferentes será permitida a partir de 18 de maio e que as proibições a viagens interregionais devem ser revogadas em 3 de junho.

O fim das restrições de viagens

O fim das restrições de viagens representará um marco importante para a recuperação italiana, e o governo espera salvar a temporada de verão iminente, quando a população costuma deixar as cidades para aproveitar as férias.

As fábricas do país tiveram permissão para reabrir em 4 de maio, e as lojas devem fazê-lo na próxima segunda-feira.

As regiões podem reativar todos os setores da economia que ainda podem estar fechados, contanto que os protocolos de segurança sejam obedecidos. Autoridades nacionais de saúde monitorarão a situação para ter certeza de que as infecções estão sob controle, disse o decreto.

Distanciamento social

O documento acrescenta que os prefeitos podem intervir e fechar espaços públicos se o distanciamento social se mostrar impossível.

Quase 314 mil italianos morreram de covid-19 desde que o surto veio à tona em 21 de fevereiro, o terceiro maior número de mortes do mundo, só atrás daqueles dos Estados Unidos e do Reino Unido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *