Italianos comemoram 75º aniversário de libertação do nazifascismo

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sábado, 25 de abril de 2020 as 15:46, por: CdB

O feriado, que é um dos mais importantes do país, é comemorado normalmente com muitos eventos, concertos e exposições. No entanto, por causa da emergência da Covid-19, a celebração deste ano foi diferente.

Por Redação, com Ansa – de Roma

Em um tributo quase privado em decorrência da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2), o presidente da Itália, Sergio Mattarella, celebrou neste sábado o 75º aniversário do Dia da Libertação, data em que o país foi libertado do regime nazifascista.

O presidente italiano, Sergio Mattarella, sobe sozinho as escadas do Altar da Pátria, durante as solenidades pelo fim do nazifascismo
O presidente italiano, Sergio Mattarella, sobe sozinho as escadas do Altar da Pátria, durante as solenidades pelo fim do nazifascismo

O feriado, que é um dos mais importantes do país, é comemorado normalmente com muitos eventos, concertos e exposições. No entanto, por causa da emergência da Covid-19, a celebração deste ano foi diferente.

Sozinho e com máscara, Mattarella visitou o Altar da Pátria, em Roma, e prestou uma homenagem quase solitária. O chefe de Estado italiano estava acompanhado apenas de alguns oficiais, que o esperavam também utilizando proteção facial.

Massacres

Após uma coroa de flores ter sido colocada no Túmulo do Soldado Desconhecido, que reúne os restos mortais de militares que morreram em combate e não tiveram a identificação realizada, um trompetista carabineiro tocou a música “Il Silenzo” (“O Silêncio”). Em seguida, Mattarella desceu as escadas novamente e entrou em seu carro.

Em seus 75 anos, é a primeira vez em que o Dia da Libertação é comemorado sem marchas, manifestações ou discursos públicos. Nesta edição, Mattarella era esperado na região da Toscana, em um dos locais dos massacres nazifascistas. Em uma mensagem, Mattarella pediu para que a população italiana fique unida e agradeceu os profissionais de saúde, que estão na linha de frente na luta contra a Covid-19.

— A pandemia nos obriga a celebrar este dia em nossas casas. Lembrar-se da resistência, da luta de libertação, daquelas páginas decisivas de nossa história, dos corajosos que dela participaram, significa reafirmar os valores de liberdade, justiça e coesão social. As energias positivas que eles conseguiram desencadear naquele tempo levaram ao renascimento — declarou Mattarella

Ainda segundo o presidente italiano, ”os sentimentos de participação no luto por nossa comunidade nacional vão para as famílias de cada uma das vítimas, bem como expressam gratidão a todos aqueles que estão na linha de frente no combate ao vírus e àqueles que permitem que as cadeias e serviços de produção funcionem”.

Bella Ciao

Nas redes sociais, o primeiro-ministro do país, Giuseppe Conte, citou alguns versos da famosa passagem do compositor italiano Francesco De Gregori para celebrar a data.

“Viva a Itália. Itália liberada. Itália com olhos secos na noite escura. Viva a Itália, Itália que não tem medo. Itália com os olhos abertos na noite triste. Viva a Itália. Itália que resiste”, escreveu Conte.

Ainda neste sábado, os italianos deverão sair em suas varandas para cantar a canção Bella Ciao, música símbolo da resistência italiana contra o nazifascismo.