Japão irá ampliar restrições para entrada de estrangeiros

Arquivado em: Ásia, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 17 de março de 2020 as 14:47, por: CdB

O governo planeja proibir a entrada de estrangeiros que visitaram essas regiões no período de 14 dias anteriores à tentativa de ingresso no Japão.

Por Redação, com ABr – de Tóquio

A agência NHK apurou que o governo japonês planeja ampliar restrições para a entrada de estrangeiros de determinadas regiões da Europa, onde o novo coronavírus se alastra rapidamente.

Medida vale para regiões na Espanha, Itália, Suíça e toda a Islândia
Medida vale para regiões na Espanha, Itália, Suíça e toda a Islândia

As novas restrições valerão para três regiões na Espanha, incluindo a região de Madri; quatro na Itália, incluindo a região da Ligúria, no norte do país; a região de Ticino, no sul da Suíça; e toda a Islândia.

O governo planeja proibir a entrada de estrangeiros que visitaram essas regiões no período de 14 dias anteriores à tentativa de ingresso no Japão.

A medida

A medida foi tomada após Tóquio ter elevado, na segunda-feira, seu alerta de viagens para as mesmas regiões europeias para o nível 3 – o segundo mais alto, que recomenda o cancelamento de viagens.

Atualmente, o Japão restringe a entrada de estrangeiros que estiveram em determinadas regiões da China, Coreia do Sul, Itália e Irã.

O governo considera ainda pedir a viajantes procedentes de países europeus, incluindo França e Alemanha, que se mantenham em autoisolamento por 14 dias. O pedido também será feito a viajantes japoneses.

Chuvas

O Ministério do Meio Ambiente do Japão afirmou que resíduos produzidos pelos trabalhos de descontaminação após o acidente na usina nuclear Fukushima 1, em 2011, podem sofrer vazamento em 12 locais, em caso de chuvas torrenciais.

A pasta checou todos os locais em que os resíduos são mantidos, depois que 91 sacos foram levados pelas águas para rios nas províncias de Fukushima e Tochigi, no ano passado, por causa de enxurradas provocadas pelo tufão Hagibis.

Dos 322 locais nas proximidades de rios ou em áreas propensas a inundações, soube-se que 12 na província de Fukushima correm risco de que sacos contendo resíduos sejam levados pelas águas ou sofram rompimento por fluxos de lama.

O ministério planeja montar cercas ou transferir os resíduos para instalações intermediárias de estocagem visando reduzir o risco até o final de maio deste ano.

Nesta terça-feira, o ministro do Meio Ambiente, Shinjiro Koizumi, declarou à imprensa que espera que o trabalho seja realizado o quanto antes devido aos crescentes riscos de tempestades súbitas nos últimos anos.