Japão está pronto para elevar suporte econômico, diz premiê

Arquivado em: Negócios, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 4 de outubro de 2019 as 12:14, por: CdB

O governo lançou um aumento duas vezes adiado no imposto sobre vendas na terça-feira, de 8% para 10%, uma medida que é considerada crítica para corrigir as finanças do país.

Por Redação, com Reuters – de Tóquio

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, prometeu nesta sexta-feira adotar “todas as medidas possíveis” se os riscos para a economia se intensificarem, sinalizando um impulso de estímulo fiscal no caso de o aumento dos impostos sobre vendas este mês desencadear uma forte queda no crescimento.

Ainda há temores de que o imposto mais alto possa prejudicar os gastos dos consumidores e levar a economia à recessão
Ainda há temores de que o imposto mais alto possa prejudicar os gastos dos consumidores e levar a economia à recessão

O governo lançou um aumento duas vezes adiado no imposto sobre vendas na terça-feira, de 8% para 10%, uma medida que é considerada crítica para corrigir as finanças do país. Contudo, há temores de que o imposto mais alto possa prejudicar os gastos dos consumidores e levar a economia à recessão.

Isso levou à especulação de que Tóquio aumentará os gastos fiscais, embora já tenha tomado medidas para mitigar a questão no consumo, levando em consideração a grave crise econômica que se seguiu ao último aumento do imposto sobre vendas em 2014.

– Atingir o crescimento econômico continua sendo a principal prioridade do meu governo – disse Abe em um discurso numa sessão extraordinária do Parlamento, realizada nesta sexta-feira.

A promessa de Abe de oferecer suporte à economia ecoa os comentários feitos recentemente pelo banco central japonês, que manteve a política monetária no mês passado mas sinalizou sua disposição em expandir o estímulo já na reunião de 30 e 31 de outubro.

Os mercados acionários do Japão e da Austrália fecharam em alta nesta sexta-feira graças a ganhos em Wall Street, mas sinais de mais problemas na economia global contiveram o apetite por risco no momento em que o mercado se prepara para o relatório de emprego dos Estados Unidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *