Japão hospitaliza primeira participante da Paralimpíada com covid-19

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 26 de agosto de 2021 as 12:51, por: CdB

 

Menos de 10% dos pacientes de coronavírus estão hospitalizados em Tóquio, e o nível baixo de internações aumenta a frustração pública com a reação governamental à covid-19, minando o apoio do eleitorado ao primeiro-ministro Yoshihide Suga.

Por Redação, com Reuters e ABr – de Tóquio

Um participante estrangeiro dos Jogos Paralímpicos de Tóquio foi hospitalizados com sintomas de covid-19 sem gravidade, relatou a agência de notícias Kyodo nesta quinta-feira citando o comitê organizador do evento.

Logo da Paralimpíada Tóquio 2020 em Tóquio

Foi a primeira hospitalização da Paralimpíada de Tóquio 2020, que começou na terça-feira.

Os hospitais do Japão que tratam pacientes de covid-19 costumam reservar leitos para pessoas com sintomas graves.

Na segunda-feira, o governo nacional e o governo metropolitano de Tóquio apelaram aos hospitais da capital para aceitarem mais pacientes de covid-19.

Menos de 10% dos pacientes de coronavírus estão hospitalizados em Tóquio, e o nível baixo de internações aumenta a frustração pública com a reação governamental à covid-19, minando o apoio do eleitorado ao primeiro-ministro Yoshihide Suga.

Natação

O Brasil conquistou na manhã desta quinta-feira medalha de bronze na prova de revezamento misto no 4×50 metros livre 20 pontos na Paralimpíada de Tóquio. Os nadadores brasileiros Daniel Dias (classe S5), Talisson Glock (classe S6), Joana Neves (classe S5) e Patrícia Pereira (classe S4) obtiveram o tempo de 2min24s82. As competições de natação acontecem no Centro Aquático de Tóquio, na capital japonesa. As classes S4, S5 e S6 são compostas de atletas com deficiência física-motora.

A medalha de ouro foi para a China, que bateu a marca de 2min15s49, se tornando novo recorde mundial. Já a prata foi para o quarteto italiano, que terminou a prova no tempo de 2min21s45.

Com o resultado no revezamento, o paulista Daniel Dias chegou a 27ª medalha na história das paralimpíadas. Em Tóquio 2020, ele já levou outros dois bronzes: na prova de 100 metros livre da classe S5 (deficiência física-motora) e nos 200 metros livre na classe S5 (deficiência física-motora).

No nado peito, o brasileiro Ruan Felipe Lima de Souza  participou da prova dos 100 metros da classe SB9 (deficiência física-motora), também disputada nesta quinta-feira. O paratleta, que é natural de Taubaté e tem 29 anos, terminou em quinto lugar, com o tempo de 1min10s99.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code