Japão lembra vítimas 10 anos após desastre de Fukushima

Arquivado em: Ásia, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 11 de março de 2021 as 10:23, por: CdB

Em 11 de março de 2011, um terremoto seguido de tsunami desencadeou o acidente nuclear de Fukushima. Premiê diz ainda ser “insuportável” pensar nas milhares de vítimas deixadas pela tragédia tripla.

Por Redação, com DW – de Tóquio

Por ocasião dos dez anos do desastre de Fukushima,  o Japão relembrou nesta quinta-feira as vítimas do terremoto seguido de tsunami que afetou principalmente a província de Fukushima. O tsunami causou o colapso na usina nuclear de Daiichi. É o pior desastre natural na memória viva do país e o maior no mundo desde Chernobyl. Cerca de 18,5 mil pessoas morreram ou ficaram desaparecidas.

Homem reza por vítima do desastre de Fukushima

Um minuto de silêncio foi observado em todo o país às 14h46 (hora local), o momento exato em que o terremoto atingiu a costa do Japão em 11 de março de 2011. Os sobreviventes rezaram pelas vítimas e recordaram seus entes queridos.

Falando em um serviço memorial em Tóquio, o primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, disse ainda ser “insuportável” pensar nas milhares de vítimas da tragédia. “É insuportável quando penso nos sentimentos de todos aqueles que perderam seus entes queridos e amigos.”

O Japão nunca deve esquecer as lições aprendidas no desastre, afirmou o premiê, sinalizando que o país continuará a fornecer apoio para ajudar as pessoas a reconstruírem suas vidas.

O imperador Naruhito também expressou suas condolências e advertiu que o Japão precisa construir uma nação mais forte para o futuro.

O que aconteceu em Fukushima

O terremoto de magnitude 9, um dos mais fortes tremores já registrados, teve seu epicentro no mar e gerou um tsunami que atingiu a costa do Japão dentro de meia hora. Uma onda de até 19 metros de altura foi registrada na cidade costeira de Miyako na prefeitura de Iwate.

Na província de Miyagi, o tsunami varreu até 6 quilômetros para o interior. O tsunami impactou no total cerca de 400 quilômetros da costa.

Quase meio milhão de pessoas foram deslocadas em toda a região nordeste do país. Mesmo dez anos depois, 42.565 pessoas, incluindo 35.725 antigos moradores de Fukushima, ainda não conseguiram voltar para casa.

Grande parte da costa nordeste do Japão foi fortificada com enormes paredões de concreto de até 15 metros. Quando concluído, o comprimento total será de 432 quilômetros. As zonas proibidas permanecem em nove municípios de Fukushima ao redor da usina nuclear destruída. Isso representa 2,4% das terras da província de Fukushima. A zona proibida inicial abrangia 10%.

Cerca de 14 milhões de toneladas de solo radioativo, árvores e outros resíduos dos arredores de Fukushima permanecem em sacos de lixo empilhados em locais de armazenamento temporário.

O custo de recuperação para o Japão

O governo gastou 32 trilhões de ienes (247 bilhões de euros) na recuperação da região. Isso inclui a construção de estradas, paredões e casas, e apoio para o sustento das pessoas.

A Tokyo Electric Power Company, operadora da usina destruída, disse que seus custos totalizarão 21,5 trilhões de ienes, gastos em descomissionamento, compensações da evacuação e descontaminação de materiais radioativos fora da planta nuclear.