Japão participará de programa de vacinas da OMS

Arquivado em: América do Norte, Ásia, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 1 de setembro de 2020 as 11:51, por: CdB

O Ministério da Saúde do Japão informou nesta terça-feira que planeja participar do programa de vacina para covid-19 da Organização Mundial da Saúde (OMS), conhecido como Covax.

Por Redação, com Reuters – de Tóquio/Genebra

O Ministério da Saúde do Japão informou nesta terça-feira que planeja participar do programa de vacina para covid-19 da Organização Mundial da Saúde (OMS), conhecido como Covax.

Frasco rotulado como sendo de vacina contra covid-19 em foto de ilustração
Frasco rotulado como sendo de vacina contra covid-19 em foto de ilustração

Um funcionário do ministério disse a repórteres que o Japão se juntaria à iniciativa, cujo prazo de manifestação de interesse era 31 de agosto. A decisão não é vinculativa, afirmou o funcionário, e as contribuições financeiras seriam decididas antes do prazo final de 18 de setembro.

O programa Covax, lançado no final de abril, foi projetado de modo a servir como uma política de seguro para garantir o acesso a vacinas para covid-19.

Acordos para imunizações

A participação tem sido incerta, já que várias nações mais ricas, incluindo Japão e Estados Unidos, fecharam seus próprios acordos para imunizações.

Por meio de negócios no exterior e produção doméstica, o Japão está a caminho de ter mais de 500 milhões de doses de seis vacinas diferentes para covid-19 no próximo ano para seus 126 milhões de habitantes.

Autorização emergencial

As autorizações para uso emergencial das vacinas contra a covid-19 precisam de “uma grande dose de seriedade e reflexão”, afirmou a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta segunda-feira, após os Estados Unidos anunciarem que estão avaliando acelerar o processo para algumas candidatas.

Embora todos os países tenham o direito de aprovar os medicamentos sem concluir os testes completos, “não é algo que se faz de maneira leviana”, disse a cientista-chefe da OMS, Soumya Swaminathan, em um pronunciamento à imprensa.

O chefe da Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA) disse que estaria disposto a contornar o processo normal de aprovação para autorizar uma vacina da covid-19, assim que as autoridades estiverem convencidas de que os benefícios superem os riscos.

A Rússia já concedeu aprovação regulatória para uma vacina contra a covid-19 neste mês, após menos de dois meses de testes em seres humanos, levando alguns especialistas do Ocidente a questionarem a segurança e a eficácia do medicamento.

A abordagem preferencial da OMS seria através da obtenção de um conjunto de dados completos que poderiam ser utilizados para uma pré-classificação das vacinas, disse Swaminathan.

A OMS então consideraria a eficácia e segurança de cada um dos medicamentos com base em cada caso, acrescentou a cientista.

A OMS já utilizou remédios experimentais para combater o Ebola na África, uma medida que se mostrou bem sucedida, afirmou Mike Ryan, diretor do programa de emergências da entidade.

Mas ele ressaltou que a abordagem de acelerar o processo sem os testes completos necessita de monitoramento intensivo e trabalho de acompanhamento de segurança, e deve ser suspensa imediatamente caso ocorram problemas.

– Se você avança muito rápido para vacinar milhões de pessoas, você pode perder alguns efeitos adversos – acrescentou Ryan.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code