Japão prorroga estado de emergência devido à disparada de casos de covid

Arquivado em: América do Norte, Ásia, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 17 de agosto de 2021 as 13:43, por: CdB

O atual estado de emergência, o quinto da pandemia até agora, deveria terminar no dia 31 de agosto, mas agora durará até 12 de setembro. Tóquio anunciou 4.377 casos novos nesta terça-feira, e um recorde de 5.773 na semana passada.

Por Redação, com Reuters – de Tóquio

O Japão prorrogou nesta terça-feira seu estado de emergência em Tóquio e em outras regiões e anunciou novas medidas cobrindo mais sete municípios para se contrapor a uma disparada de casos de covid-19 que ameaça o sistema de saúde.

Pessoas no Tokyo Dome em Tóquio, Japão

O atual estado de emergência, o quinto da pandemia até agora, deveria terminar no dia 31 de agosto, mas agora durará até 12 de setembro. Tóquio anunciou 4.377 casos novos nesta terça-feira, e um recorde de 5.773 na semana passada.

– A variante Delta que se alastra pelo mundo está causando casos inéditos em nosso país – disse o primeiro-ministro Yoshihide Suga. “Os casos graves estão aumentando rapidamente e sobrecarregando seriamente o sistema médico, particularmente na região da capital.”

Restrições

Agora o estado de emergência cobrirá quase 60% da população japonesa, já que os municípios de Ibaraki, Tochigi, Gunma, Shizuoka, Kyoto, Hyogo e Fukuoka estão incluídos. Medidas menos rígidas de “quase-emergência” serão adotadas em outros 10 municípios.

Restaurantes serão instruídos a fechar cedo e parar de servir álcool em troca de um subsídio. Suga disse que o governo também solicitará limites de público em lojas de departamento e pedirá que as pessoas reduzam pela metade o tempo que passam em áreas com aglomerações.

O mercado acionário japonês caiu pelo quarto dia nesta terça-feira, e o temor da variante Delta de rápida disseminação eclipsou a esperança de ganhos substanciais.

A taxa de mortalidade do país está em cerca de 1,3%, nos Estados Unidos ela é de 1,7% e no Reino Unido é de 2,1%.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code