Japão se une a atletas em apoio a Naomi Osaka após renúncia a Roland Garros

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 1 de junho de 2021 as 12:29, por: CdB

O Japão se uniu a figuras destacadas do tênis para demonstrar apoio a Naomi Osaka nesta terça-feira depois que a tenista número dois do mundo desistiu de disputar Roland Garros devido a uma desavença sobre atividades de mídia pós-jogo, explicando que sofre de depressão e ansiedade.

Por Redação, com Reuters – de Tóquio

O Japão se uniu a figuras destacadas do tênis para demonstrar apoio a Naomi Osaka nesta terça-feira depois que a tenista número dois do mundo desistiu de disputar Roland Garros devido a uma desavença sobre atividades de mídia pós-jogo, explicando que sofre de depressão e ansiedade.

Naomi Osaka

Um dos maiores nomes do esporte, Osaka surpreendeu o mundo do tênis ao se retirar na segunda-feira do Grand Slam depois de ser multada e ameaçada de expulsão por se recusar a falar à mídia após sua partida de primeira rodada no domingo.

Na semana passada, a vencedora de quatro títulos de Grand Slam expressou sua intenção de ignorar os compromissos midiáticos para proteger seu bem-estar mental, e voltou ao Twitter na segunda-feir para anunciar sua desistência.

Onda de solidariedade

Embora sua postura inicial tenha rendido à japonesa de 23 anos pouco apoio dos colegas, a maioria dizendo que lidar com a mídia é parte do trabalho, sua saída desencadeou uma onda de solidariedade em todo o mundo.

– A primeira coisa a ser considerada é a saúde da senhorita Osaka. Desejo a ela a recuperação mais rápida possível – disse Toshihisa Tsuchihashi, diretor-executivo da Associação de Tênis do Japão (JTA), em um comunicado nesta terça-feira.

O secretário-chefe de gabinete japonês, Katsunobu Kato, disse em uma coletiva de imprensa que “cuidará dela discretamente” e que existem preocupações na ruas de Tóquio com a mulher que será um dos rostos da Olimpíada deste ano na cidade.

– Acho que ela está sob muita pressão, mais do que podemos imaginar – disse Tomomi Noguchi, artesã de kimono de 67 anos, à agência inglesa de notícias Reuters.

Vickie Skorji, que administra um número de telefone de emergência do Tell, um serviço de aconselhamento sem fins lucrativos do Japão, disse que a sociedade precisa ser “mais respeitosa e solidária” quando o assunto é saúde mental.

– Quem perguntou a ela como ela está? Ela divulgou um comunicado e disse ‘preciso cuidar de mim mesma’ e foi punida – disse Skorji à Reuters.

Seus pensamentos ecoaram comentários anteriores das tenistas pioneiras Martina Navratilova e Billie Jean King.

– É incrivelmente corajoso Naomi Osaka revelar a verdade sobre sua luta com a depressão – escreveu King nas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code