Jatinho de Huck é comprado com juros subsidiados do BNDES

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018 as 15:16, por: CdB

A notícia, veiculada em primeira mão no site de notícias Tijolaço, do jornalista Fernando Brito, ganhou projeção nas redes sociais, nas últimas 48 horas. A Rede Globo, onde Luciano Huck mantém contrato para apresentar um programa no fim de semana, optou por não divulgá-la.

 

Por Redação, com Fernando Brito/Tijolaço – do Rio de Janeiro

 

Empresário e apresentador de TV, Luciano Huck tomou um empréstimo de R$ 17, 71 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para comprar o jatinho Phenom 505. A aeronave, prefixo PP-HUC,  tem sido usada em seus deslocamentos, no Brasil e no exterior. O crédito, tomado pela Brisair Servicos Técnicos Aeronáuticos Ltda, empresa pertencente a ele e à mulher, Angélica Kysivikis Huck; foi obtido pela linha do Financiamentos a Máquinas e Equipamentos (Finame), a juros de 3% ao ano; 5 meses de carência e outros 114 meses para pagamento. O banco Itaú foi o operador do financiamento.

O jatinho de Huck foi adquirido com juros subsidiados de um banco público
O jatinho de Huck foi adquirido com juros subsidiados de um banco público

A notícia, veiculada em primeira mão no site de notícias Tijolaço, do jornalista Fernando Brito, ganhou projeção nas redes sociais, nas últimas 48 horas. A Rede Globo, onde o empresário mantém contrato para apresentar um programa no fim de semana, optou por não divulgá-la. O site Tijolaço, por sua vez, disponibilizou o contrato de Huck com o BNDES.

Juros subsidiados

“A Brisair, que funciona em parte de uma sala na Barra da Tijuca, no seu registro na Receita Federal, consta como tendo atividades de“ consultoria em gestão empresarial, exceto consultoria técnica específica” e, secundariamente, “administração de caixas escolares” e ‘atividades de apoio à educação, exceto caixas escolares“, informa Brito.

A imagem do avião foi tomada pelo fotógrafo e “entusiasta de aviação Bruno Ramm, logo após pousar, em 15 de junho de 2016, no Aeroporto de Canela (RS)”, acrescenta, “vindo do Rio de Janeiro. O documento que lhe atesta a propriedade está no Registro Aeronáutico Brasileiro”.

“Pega pela vaidade pueril, a compra com financiamento subsidiado, desmonta o discurso do ‘é meu porque comprei com o meu dinheiro’. Não, foi com o nosso, a juros subsidiados. Se eu quiser comprar um carro popular, vou pagar 25% ao ano. Huck, nos mesmos 12 meses; paga 3% com sua empresa que nem mesmo tem a atividade de táxi aéreo no registro. Se ele a aluga, deve ter as notas fiscais, pois não? Duvido”, pontua Brito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *