Jihadistas ameaçam iniciar guerra contra Israel se palestinos forem mortos durante protestos

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sábado, 30 de março de 2019 as 11:18, por: CdB

A ameaça surgiu depois que um porta-voz das Brigadas Al-Quds, a ala militar da PIJ, instou os palestinos a participarem dos protestos em um vídeo postado no site do grupo.

Por Redação, com Sputnik – de Jerusalém

O grupo da Jihad Islâmica Palestina (PIJ) ameaçou desencadear uma guerra contra Israel se civis palestinos forem mortos durante os protestos em massa que marcarão um ano desde o início da “Grande Marcha de Retorno”.

O grupo da Jihad Islâmica Palestina (PIJ) ameaçou desencadear uma guerra contra Israel

A ameaça surgiu depois que um porta-voz das Brigadas Al-Quds, a ala militar da PIJ, instou os palestinos a participarem dos protestos em um vídeo postado no site do grupo.

– Nós advertimos o inimigo sionista contra o derramamento de sangue palestino e enfatizamos que matar civis não trará nada além de guerra – alertou Hamza.

Ele falou em meio a relatos de que os organizadores dos protestos da “Grande Marcha de Retorno” planejam marcar o primeiro aniversário do evento com manifestações em larga escala ao longo das fronteiras da Faixa de Gaza no sábado.

Iyad Sarhan, porta-voz das Forças de Defesa de Israel (FDI), por sua vez, alertou os palestinos contra a aproximação ou a violação da barreira de segurança perto da fronteira de Gaza.

– Proteja suas vidas, fique longe e mantenha os inocentes longe dos pontos de fulgor e terror na Faixa de Gaza – disse ele, incitando os palestinos a manter uma distância de “pelo menos 300 metros”.

Mais cedo, militares israelenses afirmaram estão preparados para os protestos previstos para este sábado, reforçando o distrito do sul com três brigadas de infantaria adicionais, quartel-general de divisão e uma unidade de artilharia.

Visitando as tropas israelenses concentradas em torno da Faixa de Gaza na quinta-feira, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu assegurou que não hesitaria em lançar uma campanha militar em larga escala se outros meios não funcionassem.

A declaração seguiu a escalada das tensões entre Israel e o grupo militante palestino Hamas no início desta semana, quando um míssil lançado de Gaza destruiu uma casa e feriu sete pessoas em um bairro israelense densamente povoado, provocando a resposta de militares israelenses aos alvos do Hamas nas áreas fronteiriças do enclave palestino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *