JMM: Arthur Zanetti é vice-campeão nas argolas e bronze no solo

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 25 de outubro de 2019 as 12:23, por: CdB

O medalhista olímpico Arthur Zanetti é o vice-campeão na prova das argolas, da Ginástica Artística, nos Jogos Mundiais Militares (JMM), em Wuhan, na China.

Por Redação, com ABr – de Pequim

O medalhista olímpico Arthur Zanetti é o vice-campeão na prova das argolas, da Ginástica Artística, nos Jogos Mundiais Militares (JMM), em Wuhan, na China. Nesta manhã,  o ginasta brasileiro ficou com a prata ao totalizar 14.700 pontos, 433 a menos que o chinês Yang Liu, que conquistou o ouro. O bronze ficou com o ginasta armênio Artur Avetisyan (14.633).

O medalhista olímpico Arthur Zanetti é o vice-campeão na prova das argolas, da Ginástica Artística, nos Jogos Mundiais Militares
O medalhista olímpico Arthur Zanetti é o vice-campeão na prova das argolas, da Ginástica Artística, nos Jogos Mundiais Militares

Mais cedo, Zanetti já tinha subido ao pódio ao garantir o bronze nos exercícios de solo. O brasileiro somou 14.033 pontos, ficando atrás dos chineses Shudi Deng (ouro, com 14.733) e Ruoteng Xiao (prata com 14.666).

O segundo bronze para o Brasil na modalidade veio com o ginasta Francisco Barreto Júnior, que alcançou nota 13.866 no cavalo. Mais uma vez os chineses conquistaram ouro e prata, com Jingyuan Zou (14.933) e Ruoteng Xiao (14.866), respectivamente.

Com as conquistas desta sexta-feira, o país soma ao todo cinco medalhas na ginástica artística (duas pratas e três bronzes).

Boxe

Doze dias após conquistar o título de campeã mundial, na Rússia, na categoria até 60 Kg, a peso-leve Bia Ferreira conquistou a primeira medalha do boxe brasileiro nesta edição dos Jogos Mundiais Militares em Wuhan, na China. Na final da categoria 57-60 Kg,a boxeadora baiana, de 26 anos, deixou o escapar o ouro para a atleta da casa, a chinesa Zichun Xu, que venceu por 5 a 0.

No percurso para chegar à decisão do título, Bia Ferreira foi acumulando vitórias implacáveis, sempre por 5 a 0. Isso aconteceu no último domingo, na luta classificatória contra a italiana Valentina Alberti, triunfo que garantiu a presença da brasileira nas quartas de final. Mais uma vez, Bia Ferreira sobrou diante da atleta Khulan Purevdorj, da Mongólia, se classificando para as semifinais. Nesta fase, brasileira superou a norte-coreana Song Choe Hye e carimbou o passaporte para a grande final.

O Brasil permanece na terceira posição no quadro geral de medalhas, com um total de 74 (19 ouros, 24 pratas e 31 bronzes).  A liderança segue com a China, com 193 (112 ouros, 55 pratas, 26 bronzes) e em segundo lugar está a Rússia, com 136 medalhas (43 ouros, 45 pratas e 48 bronzes).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *