Jogos de Inverno: segunda atleta russa é flagrada em exame de doping

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018 as 12:37, por: CdB

O atleta russo de curling Alexander Krushelnitsky concordou em devolver a medalha de bronze conquistada nas duplas mistas devido ao uso de meldonium, que pode aumentar a resistência

Por Redação, com Reuters – de Seul

Uma segunda atleta da Rússia foi flagrada em um exame de doping pelo uso de um medicamento para melhorar o desempenho na Olimpíada de Inverno de Pyeongchang, um grande golpe na esperança russa de recuperar sua reputação olímpica e acabar com anos de escândalos de doping.

Segunda atleta russa é flagrada em exame de doping na Olimpíada de Inverno

Um exame da praticante de bobsled Nadezhda Sergeeva mostrou o uso de um remédio cardíaco em 18 de fevereiro; cinco dias depois de um teste de doping anterior apresentar resultado negativo; informou a Federação Russa de Bobsled em um comunicado nesta sexta-feira.

– No dia 13 de fevereiro sua amostra estava limpa. A equipe médica do time não prescreveu o remédio à atleta – disse a federação em sua página oficial de Facebook.

– A Federação Russa de Bobsled e a própria atleta entendem a extensão de sua responsabilidade; e entendem como o que aconteceu pode ter impacto no destino de toda a equipe.

Mais cedo nesta semana, o atleta russo de curling Alexander Krushelnitsky concordou em devolver a medalha de bronze; conquistada nas duplas mistas devido ao uso de meldonium, que pode aumentar a resistência.

O caso de Krushelnitsky chocou os esportistas russos, que competem em Pyeongchang; como atletas neutros como punição pelas alegações de que a potência esportiva utilizou um programa de dopagem sistemático e apoiado pelo Estado; o que Moscou nega.

Mas seu caso também fez com que se questionasse se a violação foi intencional; já que o meldonium ofereceria poucos benefícios no curling, que não envolve grande desgaste físico.

Rússia

Àquela altura a Rússia ainda tinha esperança de que o Comitê Olímpico Internacional (COI); anularia a suspensão do Comitê Olímpico Russo e permitiria aos seus atletas marcharem com a bandeira nacional na cerimônia de encerramento da Olimpíada no domingo.

Essa perspectiva se tornou mais complicada após o segundo exame positivo de um atleta russo; agora a Rússia é responsável por dois dos quatro testes positivos nos Jogos.

O COI não respondeu de imediato a um pedido de comentário.

A notícia chegou poucas horas depois de centenas de torcedores russos comemorarem intensamente quando a patinadora artística Alina Zagitova conquistou a primeira medalha de ouro de sua equipe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *