Jogos de Tóquio: organizadores recebem chama olímpica

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 19 de março de 2020 as 12:26, por: CdB

Os organizadores da Tóquio 2020 receberam a chama olímpica em uma cerimônia reduzida em Atenas nesta quinta-feira, em meio à proliferação do novo coronavírus que gerou dúvidas em relação ao evento.

Por Redação, com Reuters – de Tóquio

Os organizadores da Tóquio 2020 receberam a chama olímpica em uma cerimônia reduzida em Atenas nesta quinta-feira, em meio à proliferação do novo coronavírus que gerou dúvidas em relação ao evento.

Cerimônia de entrega da chama olímpica em Atenas
Cerimônia de entrega da chama olímpica em Atenas

Em uma rápida cerimônia fechada ao público no Estádio Panatenaico, local dos primeiros Jogos modernos, em 1896, a tocha foi recebida pela ex-nadadora olímpica Naoko Imoto, representante do comitê da Tóquio 2020.

A chama chegará ao Japão nesta sexta-feira e inicia sua jornada doméstica em 26 de março. A previsão é que a Olimpíada aconteça entre 24 de julho e 9 de agosto.

A escala de proliferação do coronavírus, que já infectou mais de 200 mil pessoas e deixou ao menos 8,7 mil mortos ao redor do mundo, obrigou o cancelamento de inúmeros eventos esportivos, elevando as preocupações sobre os planos para os Jogos.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) e o governo japonês, no entanto, insistem que tudo seguirá como planejado.

O chefe do Comitê Olímpico da Grécia, Spyros Capralos, entregou a tocha acesa a Imoto diante de arquibancadas vazias dentro do estádio com capacidade para abrigar 50 mil pessoas.

Aeronave especial

A chama então foi transferida para um pequeno recipiente, no qual viajará até o Japão a bordo de uma aeronave especial chamada “Tóquio 2020, vá”.

Poucas dezenas de autoridades foram permitidas no estádio grego, já que o país impôs medidas de restrição para conter a propagação do vírus.

O chefe da Tóquio 2020, Yoshiro Mori, disse em uma mensagem gravada que espera que a chegada da chama ajude a “espantar as nuvens escuras que pairam sobre o mundo.”

Detentores de ingressos

Os detentores de ingressos cobiçados para a Olimpíada de Tóquio aguardam ansiosamente uma decisão se os Jogos continuarão conforme o planejado, em meio a notícia na mídia de que os valores dos tickets podem não reembolsados ​​em caso de cancelamento do evento.

Os ingressos foram comprados rapidamente no Japão, com mais de três milhões vendidos durante a primeira fase nacional em maio passado. A forte demanda por vendas posteriores também deixou muitos compradores em potencial decepcionados.

Os organizadores têm dito repetidamente que a Olimpíada de 24 de julho a 9 de agosto seguirá conforme o planejado, mas com a rápida disseminação do coronavírus levando o mundo dos esportes a uma paralisação, os temores estão aumentando com a possibilidade de os Jogos Olímpicos serem cancelados ou adiados.

Detalhes contratuais

Na quarta-feira, o jornal Asahi Shimbun informou que os ingressos podem não ser reembolsáveis ​​se a Olimpíada for cancelada, citando organizadores olímpicos e detalhes contratuais relacionados aos ingressos.

Se a realização da Olimpíada for impedida devido a incidentes de “força maior”, que vão de desastres a guerras e “estados de emergência relacionados à saúde pública”, os organizadores não serão responsabilizados, acrescentou o Asahi.

A reportagem gerou uma enxurrada de comentários nas mídias sociais, tornando o assunto um dos principais tópicos do Twitter no Japão. “O que – nenhum reembolso se for cancelado? Vocês estão brincando comigo?”, escreveu @may_lulu.

Os organizadores de Tóquio 2020 disseram em comunicado que monitoram a situação, mas que nem eles nem o Comitê Olímpico Internacional estavam pensando em cancelar os Jogos.

“Os termos e condições não indicam que ‘os ingressos podem não ser reembolsados’, portanto o artigo não é exato”, acrescentaram os organizadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *