Jornal da Turquia diz que diplomata saudita foi o ‘cérebro’ da morte de Khashoggi

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 23 de outubro de 2018 as 11:43, por: CdB

De acordo com o jornal Sabah, um diplomata que trabalhava em Istambul desde 2015 foi o “cérebro” da operação em que o jornalista foi morto.

Por Redação, com EFE – de Ancara

Um diplomata da Arábia Saudita em Istambul foi o cérebro da operação onde foi morto o jornalista saudita Jamal Khashoggi, segundo informações de um jornal turco, em um novo vazamento antes que as autoridades da Turquia divulguem nesta terça-feira suas conclusões sobre o ocorrido.

O jornalista saudita Jamal Khashoggi

De acordo com o jornal Sabah, um diplomata que trabalhava em Istambul desde 2015 foi o “cérebro” da operação em que o jornalista foi morto.

O veículo de comunicação, próximo ao governo turco, afirma que Ahmed Abdulah Al Muzaini, a quem define como chefe local da inteligência saudita, viajou para Riad no dia 29 de setembro e retornou no dia 1º de outubro, a véspera do desaparecimento de Khashoggi após entrar no consulado saudita, em Istambul.

Sabah, que não menciona nenhuma fonte, assegura que foi esta pessoa quem recebeu e executou a ordem de matar o jornalista, crítico do atual regime saudita.

Este é um dos muitos relatos surgidos nas mídias turcas e americanas, supostamente vazadas pelas autoridades turcas, e que desmentem a versão oficial de Riad que o jornalista morreu de forma acidental durante uma briga dentro do consulado.

Espera-se que o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, anuncie hoje as conclusões da investigação realizada pelas autoridades de seu país.

O porta-voz do Partido Justiça e Desenvolvimento (AKP, na sigla em turco), Ömer Çelik, já denunciou ontem que a morte de Khashoggi foi planejada.

– Foi planejado de maneira brutal, e fizeram um esforço enorme para escondê-lo. Estamos diante dessa situação, é um assassinato muito complicado – disse

– Esperamos que os resultados (da investigação) venham à tona, que os responsáveis sejam punidos e ninguém jamais volte a pensar em fazer algo parecido – acrescentou Çelik.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *