Jovem grávida morre baleada após ação da PM no Rio 

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 9 de junho de 2021 as 11:06, por: CdB

 

Uma ação da Polícia Militar do Rio de Janeiro na comunidade do Lins, na Zona Norte da cidade, matou Kathlen Romeu, 24 anos, na terça-feira. A jovem estava grávida, era designer de interiores, e estava na comunidade para visitar a avó.

Por Redação, com ANSA – do Rio de Janeiro

Uma ação da Polícia Militar do Rio de Janeiro na comunidade do Lins, na Zona Norte da cidade, matou Kathlen Romeu, 24 anos, na terça-feira. A jovem estava grávida, era designer de interiores, e estava na comunidade para visitar a avó.

Kathlen Romeu tinha 24 anos e era designer de interiores

A nota da PM afirma que um grupo de agentes foi atacado por bandidos ao entrar na área chamada de “Beco 14” e que o corpo de Kathlen foi encontrado no chão. Ela chegou a ser levada para um hospital, mas não resistiu e faleceu.

No entanto, a família da vítima disse que não havia tiroteio no momento e que os policiais atiraram a esmo. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios da Capital (DHC).

Em entrevistas na frente do Instituto Médico Legal (IML), familiares da jovem estavam revoltados com o assassinato. O pai dela, Luciano Gonçalves, contou que a família tinha feito um esforço para tirar Kathlen da comunidade para dar uma vida melhor para a jovem, que havia se formado na faculdade em setembro do ano passado.

– Eu tirei ela de lá por causa da violência. Minha filha era a coisa mais especial da minha vida, uma pessoa do bem, inteligente demais, cheia de sonhos – disse Gonçalves à imprensa.

Violência

Nas redes sociais, o namorado da jovem, Marcelo Ramos, fez uma postagem pedindo respeito à privacidade da família, que vem recebendo ataques nas redes sociais.

– Vocês não têm ideia do que a gente está passando. E o que a gente vai passar, vai ser muito pior daqui para frente. Respeitem a dor da família. Principalmente da mãe da Kath, que foi obrigada a ler comentários de pessoas falando besteira – escreveu o jovem, que era pai da criança.

Um protesto de moradores pedindo paz também foi realizado no fim da tarde de terça-feira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code