Julian Assange se apresenta à corte em Londres para audiência sobre extradição aos EUA

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Redes Sociais, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 13 de janeiro de 2020 as 11:52, por: CdB

Em 2010, Assange foi acusado de abuso sexual na Suécia. Temendo extradição aos EUA, o ativista recebeu asilo político na embaixada do Equador em Londres.

Por Redação, com Sputnik – de Londres

O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, se apresentou a uma corte na capital do Reino Unido, Londres, para início das audiências sobre sua extradição aos EUA.

O fundador do WikiLeaks, Julian Assange
O fundador do WikiLeaks, Julian Assange

Julian Assange, vestindo um terno e camisa cinza, compareceu à audiência. Cumprindo as formalidades, o fundador disse seu nome completo, à pedido da juíza.

A audiência começou com atraso de mais de uma hora. A juíza Vanessa Baraitser pediu aos advogados de Assange que explicassem o motivo do atraso.

De acordo com a advogada de Assange, Gareth Peirce, o atraso se deu por causa de dificuldades na prisão de Belmarsh, onde seu cliente está cumprindo pena.

Segundo a advogada, a defesa ainda enfrenta restrições de comunicação e troca de material com Assange devido às regras da prisão, dedicada à detenção de terroristas e indivíduos de alta periculosidade.

– Eu não sei explicar concretamente qual é o problema, mas nós enfrentamos dificuldades em Belmarsh – acrescentou a advogada.

Durante a audiência, a juíza definiu que a próxima sessão deve ser realizada em 23 de janeiro. Na ocasião, Assange vai participar por videoconferência.

– Sr. Assange, a próxima audiência será no dia 23 de janeiro, e o senhor deve comparecer por videoconferência – declarou a juíza.

A organização das audiências de janeiro e fevereiro com o ativista e fundador do WikiLeaks foi definida pela juíza em dezembro. A audiência decisiva deve ocorrer no fim de fevereiro deste ano.

Asilo político

Em 2010, Assange foi acusado de abuso sexual na Suécia. Temendo extradição aos EUA, o ativista recebeu asilo político na embaixada do Equador em Londres.

Em abril de 2019, o Equador suspendeu o status do ativista, que foi preso pela Polícia britânica, que o acusa de não comparecer perante o juiz durante liberdade sob fiança.

Em maio de 2019, o governo dos EUA apresentou novas acusações contra Assange, incluindo a violação de Ato sobre Espionagem e vazamento de informações secretas. Assange pode enfrentar vários anos de prisão, caso seja extraditado para os Estados Unidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *