Justiça bloqueia imóveis de Neymar por ‘calote fiscal’

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 17 de junho de 2019 as 14:17, por: CdB

Os reveses do atacante Neymar, do Paris Saint-Germain continuam a crescer, enquanto as autoridades fiscais brasileiras congelaram dezenas de suas mansões e outras propriedades.

Por Redação, com Sputnik e Reuters – de Brasília

Os reveses do atacante Neymar, do Paris Saint-Germain continuam a crescer, enquanto as autoridades fiscais brasileiras congelaram dezenas de suas mansões e outras propriedades em meio a uma disputa tributária de longa duração, informou a mídia local nesta segunda-feira.

O Paris Saint-Germain está preparado para vender o atacante Neymar

O jornal Folha de S.Paulo informou que as autoridades brasileiras bloquearam 36 propriedades no Brasil ao buscarem R$ 69 milhões em impostos atrasados. Eles alegam que esse valor é devido em conexão com a transferência de Neymar em 2013, do Santos para Barcelona.

A ação significa que o Neymar pode usar as propriedades, mas não vendê-las.

A Folha citou uma decisão judicial não especificada, aprovando a ação das autoridades fiscais brasileiras. Não foi imediatamente possível localizar a decisão.

A agência tributária do Brasil não respondeu a um pedido de comentário. Uma porta-voz de Neymar não fez comentários. Além de sua luta fiscal, Neymar nas últimas semanas foi acusado de estupro, uma alegação de que a polícia brasileira está investigando.

Uma mulher brasileira acusou Neymar, de 27 anos, de estuprá-la em um hotel em Paris no mês passado. Ele nega a alegação e diz que o relacionamento foi consensual.

No domingo, uma reportagem do jornal francês L’Equipe disse que o Paris Saint-Germain está preparado para vender Neymar, já que o presidente Nasser Al-Khelaifi alertou que o comportamento irresponsável de jogadores não será mais tolerado.

PSG cogita vender Neymar

O Paris Saint-Germain está preparado para vender o atacante Neymar, disseram reportagens da mídia francesa, e o presidente Nasser Al-Khelaifi alertou que comportamentos irresponsáveis dos jogadores não serão mais tolerados.

O jogador da seleção do Brasil trocou o Barcelona pelo time de Paris pelo valor de 222 milhões de euros em agosto de 2017, um recorde mundial.

Mas ele ficou fora de boa parte da temporada 2018-19 devido a lesões e suspensões e só atuou em 17 jogos da liga, marcando 15 gols.

Há rumores de que Neymar não está à vontade no clube e que disse a parentes que estava tendo dificuldades na França mesmo antes de ser acusado de estuprar uma mulher em um hotel de Paris em maio, ele nega qualquer conduta imprópria.

Já a reportagem do L’Équipe no domingo veio na esteira de comentários contundentes do chairman e presidente-executivo do PSG, Al-Khelaifi, sobre a atitude de membros do elenco.

– Os jogadores terão que ser mais responsáveis do que antes – disse ele à France Football. “Precisa ser completamente diferente. Eles terão que fazer mais e trabalhar mais duro. Eles não estão lá para se divertir.”

“Se não concordarem, as portas estão abertas – Ciao! Não quero mais estrelismo.”

Suas palavras vêm na sequência de uma temporada decepcionante para o time que, apesar de conquistar o título francês, foi eliminado da Liga dos Campeões nas oitavas de final pelo Manchester United e não conseguiu vencer nenhuma das duas grandes copas domésticas da França.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *