Justiça da Croácia rejeita acusação contra Modric por ‘falso testemunho’

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 3 de outubro de 2018 as 12:35, por: CdB

O magistrado alertou que essa decisão ainda não pode ser considerada definitiva, já que a promotoria tem o direito de recorrer.

Por Redação, com EFE – de Zagreb

A Justiça da Croácia desistiu momentaneamente da acusação por “falso testemunho” contra o meia Luka Modric, do Real Madrid, segundo informou nesta quarta-feira um tribunal em Zagreb.

O meia Luka Modric

– Em 28 de setembro, o Tribunal Municipal Penal de Zagreb rejeitou a acusação da promotoria regional de Osijek de 2 de março, apresentada contra Luka Modric, devido ao ato penal do artigo 305 da lei penal (que se refere ao “falso testemunho”), confirmou Sasa Lui, juiz porta-voz do tribunal.

O magistrado alertou que essa decisão ainda não pode ser considerada definitiva, já que a promotoria tem o direito de recorrer.

Modric foi acusado pela promotoria de ter dado “falso testemunho” em junho de 2017 em um julgamento por corrupção contra o dirigente Zdravko Mamic, com quem trabalhou na época de Dínamo de Zagreb, clube pelo qual o jogador foi revelado.

O “falso testemunho” se referia a certos detalhes dos acordos que Modric assinou com Mamic quando era jogador do Dínamo, que, segundo a promotoria, teria beneficiado o então dirigente do clube, julgado depois por desvios de até 15 milhões de euros. Dar falso testemunho na Croácia pode acarretar até cinco anos de prisão.

A promotoria considerou em março que as declarações de Modric não eram plausíveis e que ele teria modificado o depoimento no julgamento de Mamic a respeito do que foi dado durante outra investigação em 2015, a fim de beneficiar o ex-chefe.

Mamic foi condenado em junho a 6 anos e meio de prisão, junto com outras três pessoas, por desvios de até 15 milhões de euros nas transferências de jogadores para clubes estrangeiros, entre eles Modric, além de sonegar 1,5 milhão de euros em impostos.

Um dia antes da publicação da sentença, Mamic fugiu para a Bósnia-Herzegovina e não será extraditado porque tem dupla cidadania, croata e bósnia.

Entre as transferências incriminatórias está a de Modric para o Tottenham em 2008, na qual Mamic e seu irmão teriam se apropriado ilegalmente de pelo menos 7 milhões de euros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *