Justiça nega habeas corpus para presos em festa da milícia no Rio

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 17 de abril de 2018 as 11:21, por: CdB

De acordo com o Tribunal de Justiça, os outros 139 pedidos ainda serão analisados. Nos habeas corpus negados, a desembargadora afastou a existência de qualquer ilegalidade ou constrangimento nas prisões

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

A desembargadora Gizelda Leitão, da 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio, negouhabeas corpus a 22 presos durante uma festa da milícia Liga da Justiça, no último dia 7, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Esse foram os primeiros habeas corpus examinados, de um total de 161 pedidos impetrados em favor dos presos.

Justiça nega habeas corpus para 22 presos em festa da milícia no Rio

De acordo com o Tribunal de Justiça, os outros 139 pedidos ainda serão analisados. Nos habeas corpus negados, a desembargadora afastou a existência de qualquer ilegalidade ou constrangimento nas prisões.

Segundo a magistrada, a tese da defesa dessas pessoas é de que elas participavam de uma festa paga num sítio e não tinham qualquer relação com a milícia. Mas os relatos dos policiais indicam a inexistência de bilheterias ou de qualquer profissional ligado à realização de eventos.

Além disso, segundo a Justiça, a festa seria uma homenagem a Wellington da Silva Braga, o “Ecko”, suspeito de chefiar a Liga da Justiça. Durante a operação, houve troca de tiros e quatro homens armados com fuzis foram mortos pela polícia.

PM morto

Foi enterrado no domingo em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio de Janeiro, o polícial militar (PM) Diogo Bernardo Alcântara. O militar teve seu carro alvejado no sábado em Niterói, também no Grande Rio, quando saía do trabalho. O ataque aconteceu em uma área próxima ao Morro da Grota.

O caso do cabo da PM está sendo investigado pela Polícia Civil. Diogo Alcântara foi o 37º policial assassinado este ano, 35 deles eram policiais militares.

No sábado, o soldado da Polícia Militar Alexandre Antônio da Silva, de 32 anos, foi ferido a  durante uma tentativa de assalto na Zona Norte do Rio de Janeiro. O policial teve alta neste domingo do Hospital Municipal Salgado Filho, para onde tinha sido levado.

PM morto no Recreio

O subtenente reformado da Polícia Militar, Anderson Claudio da Silva, de 48 anos, foi assassinado na noite de terça-feira, na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro. Seu corpo foi encontrado dentro de um veículo; que tinha várias marcas de tiro, na praça Miguel Osório, no Recreio dos Bandeirantes.

Com o ex-policial, foi encontrada uma arma. Depois da ocorrência, os policiais do Batalhão do Recreio (31º BPM) encontraram um ex-policial militar; que estava ferido e tinha uma pistola dentro do carro. Ele foi levado ao Hospital Municipal Lourenço Jorge, sob custódia por suspeita de participação no assassinato.

As investigações estão a cargo da Delegacia de Homicídios da Capital. Segundo a Polícia Civil, a perícia no local do crime já foi realizada. Os agentes buscam imagens e testemunhas do assassinato. Com a morte do subtenente,  sobe o número de policiais mortos vítimas da violência este ano no Rio de Janeiro.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *