Justiça ouve relatos de supostos abusos de cardeal do Vaticano em piscina e cinema

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 19 de março de 2018 as 13:29, por: CdB

Pell, de 76 anos, é a autoridade católica mais graduada do mundo a enfrentar tais acusações, detalhes das quais não vieram a público

Por Redação, com Reuters – de Melbourne:

Alguns dos supostos delitos sexuais cometidos pelo tesoureiro do Vaticano, George Pell, ocorreram em uma piscina e um cinema, ouviu um tribunal nesta segunda-feira durante uma audiência na qual procurou determinar se submete o caso contra o cardeal australiano a julgamento.

Tesoureiro do Vaticano, George Pell, deixa tribunal em Melbourne, na Austrália

Pell, de 76 anos, é a autoridade católica mais graduada do mundo a enfrentar tais acusações; detalhes das quais não vieram a público.

Em audiências administrativas anteriores, seus advogados disseram; que ele se declarará inocente de todas as acusações; mas Pell não tem obrigação de fazer tal declaração a menos que um magistrado determine haver causa para um julgamento.

O Tribunal dos Magistrados de Melbourne ouviu no início da terceira semana de audiências pré-julgamento; que um suposto delito aconteceu cerca de 40 anos atrás em um cinema em uma área regional do Estado de Vitória.

Mas uma pessoa que era operadora cinematográfica no cinema à época e conhecia Pell por frequentar a igreja; disse à corte que não se lembra de tê-lo visto no local.

O advogado de Pell também mencionou um suposto delito ocorrido mais de quatro décadas atrás em uma piscina.

Testemunha

Uma testemunha disse à corte que viu Pell na piscina “em várias ocasiões”; mas nunca viu nada suspeito nem vivenciou nada impróprio.

– Para mim, pessoalmente, não. Não me lembro de nada inadequado – afirmou. Seu nome não pode ser revelado; porque poderia ajudar a identificar os acusadores do cardeal.

Na audiência da semana passada, o tribunal ouviu relatos de supostos abusos em outras localidades de Vitória.

No ano passado a polícia australiana intimou Pell a voltar ao seu país de origem devido a acusações de delitos sexuais antigos de várias pessoas. Ele está de licença de seu cargo de ministro da Economia do papa Francisco, que exerce no Vaticano desde 2014.

O pontífice disse que não comentará o caso até seu encerramento.

A audiência pré-julgamento deve durar até o final de março.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *