Justiça do Rio autoriza ex-executivo da Nissan a recuperar bens

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 10 de dezembro de 2018 as 11:11, por: CdB

Ghosn foi preso há três semanas por suspeita de ter deixado de declarar mais de US$ 40 milhões ao fisco japonês por cinco anos.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

A 52ª Vara Cível do Rio de Janeiro autorizou a família de Carlos Ghosn, ex-executivo da Nissan, que está preso no Japão, a recuperar os bens que estão dentro de um imóvel localizado em Copacabana, na zona sul da capital fluminense. O apartamento é de propriedade da Nissan e era usado por Ghosn quando ele estava no Brasil.

Carlos Ghosn, ex-executivo da Nissan

Ghosn foi preso há três semanas por suspeita de ter deixado de declarar mais de US$ 40 milhões ao fisco japonês por cinco anos, período em que teria omitido parte de seu salário nos relatórios financeiros da Nissan. O executivo foi formalmente denunciado pela promotoria do Japão.

Segundo a família, a montadora de veículos japonesa trocou as fechaduras do apartamento e impediu que os parentes de Ghosn entrassem no local para recuperar seus pertences.

A Nissan chegou a pedir na Justiça para manter os bens do ex-executivo para que, em uma auditoria interna, pudesse apurar as acusações de sonegação fiscal e fraudes. Mas a Justiça fluminense entendeu que a Nissan comprou o apartamento para uso exclusivo de seu ex-executivo e que a empresa nunca teve a posse efetiva do imóvel. Além disso, a montadora não poderia manter sob sua custódia os pertences de Ghosn.

Por isso, foi expedido um mandado de reintegração de posse à família de Ghosn, para que possa reaver seus bens pessoais.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *