Kerry pede ao americano que rejeite o “mais do mesmo”

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado terça-feira, 2 de novembro de 2004 as 14:18, por: CdB

Com a eleição dos Estados Unidos agora nas mãos dos eleitores, o candidato democrata à Presidência, John Kerry, declarou nesta terça-feira que os americanos têm uma opção a fazer: mudar de rumo ou viver mais quatro anos da mesma coisa sob a administração de George W. Bush.

– Vocês têm uma opção, todos nós, americanos, temos esta opção hoje – disse o senador por Massachusetts antes de voltar para casa, em Boston, onde deve votar e participar do tradicional almoço do dia da eleição na Oyster Union House. – George Bush fez suas opções.

Kerry culpou o presidente republicano pela perda de empregos, por um déficit descontrolado, o grande aumento nos custos da saúde e o fracasso da política americana no Iraque.

– O presidente já fez uma escolha. Ele fez uma escolha sem um plano para conquistar a paz – disse Kerry a partidários em La Crosse. – Precisamos de um comandante-em-chefe que saiba trazer outros países à mesa de negociações.

Mas Kerry reconheceu que, se conquistar a Casa Branca, seu trabalho não será fácil.

– Não estou querendo dizer que será um mar de rosas. Temos escolhas difíceis a encarar – disse ele, que exortou os eleitores a ir às urnas e votar “por um novo começo, uma mudança de rumo”.
Os dois partidos trabalharam arduamente para convencer seus eleitores a comparecer nas urnas. O candidato à vice-presidência na chapa de Kerry, John Edwards, previu que até 115 milhões de americanos votem nessas eleições.

Todas as atenções estão voltadas a alguns Estados críticos, que incluem a Flórida, Ohio e Pensilvânia. Analistas políticos disseram que o candidato que vencer em dois desses Estados vai conquistar a Casa Branca.

A última pesquisa de intenção de voto da Reuters/Zogby a sair antes da eleição da terça mostrou Bush à frente de Kerry, por 48% contra 47%, uma diferença que está dentro da margem de erro de um empate técnico.

– Francamente, acho que não é possível prever o que vai acontecer – afirmou Edwards no programa Today, da NBC. – Acho que veremos um comparecimento recorde às urnas. Acho que teremos uma participação enorme dos eleitores. Quando isso acontece, a democracia funciona, e nos sentimos muito confiantes, muito otimistas.

Kerry encerrou sua campanha de dois anos pela Presidência com uma maratona de 18h que o levou da Flórida, no sul do país, para o Wisconsin, no meio-oeste. Em Cleveland, ele teve a ajuda do roqueiro Bruce Springsteen, que deu a Kerry – que, como ele, toca guitarra – sua palheta ao sair do palco.