Kirchner é ameaçado ao acusar polícia de corrupção

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado quarta-feira, 26 de novembro de 2003 as 21:08, por: CdB

O presidente da Argentina, Nestor Kirchner, percebeu ter atingido um ponto sensível em sua luta contra a corrupção policial quando seu telefone celular tocou e uma voz anônima ameaçou a família dele.

Um assessor disse que a voz ameaçadora contou detalhes sobre a rotina da família do presidente. O telefonema aconteceu pouco depois de Kirchner, eleito neste ano, ter ordenado uma operação de “limpeza” na força policial de 45 mil integrantes da província de Buenos Aires e tê-la acusado de estar envolvida em uma onda de seqüestros.

O presidente depara-se com o maior desafio de seu governo até agora ao enfrentar policiais e políticos acusados de corrupção na mais populosa e mais importante província argentina.

As ameaças contra Kirchner transformam em realidade o temor dos argentinos de que os barões da política e a desacreditada polícia da província de Buenos Aires são tão poderosos que podem tentar intimidar até mesmo os presidentes.

– Se a questão de segurança na Província não for resolvida, a Argentina vai se tornar ingovernável – afirmou Ricardo Lopez Murphy, um importante político da oposição.

A Província, que abriga a capital, importantes áreas de produção agrícola e pontos turísticos no litoral, é maior do que a Itália.