Lavrov não descarta intervenção militar dos EUA na Venezuela

Arquivado em: América do Norte, América Latina, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 1 de março de 2019 as 13:56, por: CdB

Segundo o ministro russo, o enviado especial dos EUA para a Venezuela, Elliot Abrams, não esconde que entre suas funções não está a busca de uma saída pacífica à crise no país latino-americano.

Por Redação, com EFE – de Moscou

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, afirmou nesta sexta-feira que não descarta uma intervenção militar dos Estados Unidos na Venezuela, em entrevista coletiva conjunta com a vice-presidente venezuelana, Delcy Rodríguez.

Lavrov e Delcy Rodríguez

– Conhecendo os enfoques do governo dos EUA, tudo é possível. Não descarto que possa lançar ações que novamente vão infringir todas as normas possíveis do direito internacional – respondeu Lavrov a uma pergunta sobre se considera possível uma intervenção militar americana na Venezuela.

Segundo o ministro russo, o enviado especial dos EUA para a Venezuela, Elliot Abrams, não esconde que entre suas funções não está a busca de uma saída pacífica à crise no país latino-americano.

– Ele (Abrams) se ocupa exclusivamente de agravar a tensão, de criar uma situação que provoque, como querem os EUA, uma eclosão, o derramamento de sangue na Venezuela, que justifique a intervenção militar – ressaltou Lavrov, que expressou sua esperança quanto a Washington “impor a sensatez”.

Ao mesmo tempo, o chefe da diplomacia russa indicou que tem a informação de que “os EUA planejam em breve comprar armas leves, morteiros, mísseis terra-ar portáteis e outros tipos de armamento para enviá-los a países próximos à Venezuela”.

De acordo com Lavrov, o transporte de tal armamento seria feito com a ajuda de “uma companhia aérea de um dos regimes mais obedientes, ou melhor, o regime absolutamente obediente a Washington no espaço pós-soviético”, em alusão ao governo da Ucrânia.

– Claro que vemos estas intenções, como veem também muitos países, inclusive os vizinhos da Venezuela. Brasil e Colômbia declararam que não apoiarão uma intervenção militar – disse o ministro.

Lavrov acrescentou que “se os vizinhos da Venezuela cumprem com suas palavras e se mantêm firmemente nessa posição, os planos americanos não se concretizarão”.

– Acredito que a rejeição absoluta, diria universal, do mundo às soluções armadas esfriará as cabeças quentes de Washington, embora haja alguns aos quais nada pode deter – disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *