LeBron James diz que Trump encorajou racistas nos EUA

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 16 de janeiro de 2018 as 11:24, por: CdB

Trump foi criticado na semana passada por supostamente chamar o Haiti e algumas nações africanas de “países de merda” durante um encontro na Casa Branca

Por Redação, com Reuters – de Nova York:

O astro do basquete norte-americano LeBron James, do Cleveland Cavaliers, disse na segunda-feira que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, encorajou racistas nos EUA e pediu que o país não permita ser dividido em linhas raciais.

Jogador de basquete norte-americano LeBron James, do Cleveland Cavaliers, se aquece antes de jogo, em Orlando

– O cara no controle deu ao povo e ao racismo… uma oportunidade de sairem e serem sinceros sem medo – disse James, um frequente crítico de Trump; a repórteres antes do jogo do Cavaliers contra o Golden State Warriors no feriado norte-americano em homenagem ao ativista dos direitos civis Martin Luther King.

– E esta é a coisa assustadora para nós, porque é com você e é todos os dias. Mas ele permitiu que pessoas saiam e se sintam confiantes em fazer coisas negativas – acrescentou.

Trump

Trump foi criticado na semana passada por supostamente chamar o Haiti; e algumas nações africanas de “países de merda” durante um encontro na Casa Branca; com parlamentares para discutir políticas imigratórias dos EUA.

Trump negou ter usado tal linguagem depreciativa; que fez com; que fosse amplamente condenado por muitos líderes africanos; e organizações internacionais. Ele disse a repórteres que é “a pessoa menos racista que vocês já entrevistaram”.

Ginasta medalhista de ouro olímpica

A ginasta norte-americana Simone Biles, quatro vezes medalhista de ouro olímpica; disse na segunda-feira ter sido sexualmente abusada pelo ex-médico da equipe de ginástica dos Estados Unidos Larry Nassar; se juntando a uma lista de atletas que acusam o médico de má conduta.

Biles, de 20 anos, foi integrante-chave da equipe dos EUA; que conquistou a medalha de ouro na Olimpíada de 2016, no Rio de Janeiro. Ela se junta a um grupo de ginastas importantes que acusam Nassar de abuso; incluindo Gabby Douglas, Aly Raisman e McKayla Maroney.

– Eu também sou uma das muitas sobreviventes que foi sexualmente abusada por Larry Nassar – disse Biles em uma carta publicada em sua conta no Twitter.

– Por favor acreditem em mim quando digo que foi muito mais difícil falar essas palavras em voz alta do que é agora colocá-las no papel. Existem muitas razões para eu ter relutado em contar minha história, mas agora eu sei que não é minha culpa.

O advogado de Nassar, Matt Newburg, disse que não tem comentários sobre a mais recente acusação.

Nassar foi sentenciado no mês passado a 60 anos de prisão por acusações envolvendo pornografia infantil e deve ser sentenciado neste semana em Michigan, depois de se declarar culpado por conduta sexual criminal relacionada a acusações de que ele atacou meninas sob o disfarce de tratamento médico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *