Leilão de energia é adiado para receber novas inscrições

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado sexta-feira, 14 de julho de 2006 as 12:26, por: CdB

Em comunicado distribuído ao mercado, nesta sexta-feira, o governo decidiu adiar para o dia 10 de outubro o leilão de energia nova que estava programado para 5 de setembro, e reabrir até o próximo dia 21 de julho o prazo para que novas usinas se habilitem para o leilão, que prevê o início de fornecimento de energia para janeiro de 2011. Segundo o presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, o adiamento ocorreu em atendimento ao pedido de vários investidores em usinas térmicas que estariam interessados em participar do leilão, mas que não haviam feito o cadastramento dentro do prazo de habilitação técnica, que terminou no dia 23 de junho.

Os investidores reclamam, segundo Tolmasquim, do prazo para o cadastro e habilitação técnica no leilão, que terminou antes do último leilão que prevê o início de fornecimento em 2009, ocorrido nos dias 29 e 30 de junho. Com a prorrogação do prazo de habilitação, os investidores que não fecharam os contratos planejados em junho poderão reavaliar seus projetos e fazer nova oferta no próximo leilão. Até o momento, 141 usinas haviam se cadastrado para participar do leilão, com uma disponibilidade de 12.157 MW médios de energia. Apesar da grande quantidade de interessados, o presidente da EPE afirmou que não haveria sentido deixar fora do leilão o investidor que quer e pode investir.

Com a reabertura do prazo de habilitação, a data do leilão também teve que ser adiada para que todo o processo seja cumprido. O governo também decidiu limitar em R$ 515,80 por MW/h o custo variável das usinas que deve ser declarado na habilitação pelas empresas interessadas. As usinas que apresentaram valores maiores poderão declarar novamente o custo variável.