Cada vez mais lento, crescimento do país é alvo de nova previsão pessimista

Arquivado em: Comércio, Indústria, Negócios, Serviços, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 15 de julho de 2019 as 15:37, por: CdB

O movimento ocorre na esteira do corte apresentado pelo governo para a projeção de crescimento da economia este ano a 0,81%, sobre 1,6% anteriormente, chamando atenção para a lentidão da economia e com os investimentos em compasso de espera.

 

Por Redação – de Brasília

Analistas de mercado fizeram leves ajustes em suas perspectivas para o Brasil, na pesquisa Focus do Banco Central divulgada nesta segunda-feira. O resultado do Produto Interno Bruto (PIB) foi reduzindo pela 20ª vez seguida a perspectiva para o crescimento econômico.

O PIB tem declinado desde a eclosão do golpe de Estado, em 2016
O PIB tem declinado desde a eclosão do golpe de Estado, em 2016

Para o PIB, em 2019, a estimativa de crescimento passou a 0,81%, de 0,82% no levantamento anterior. Para 2020 a conta também foi reduzida, em 0,1 ponto percentual, a uma expansão de 2,10%.

O movimento ocorre na esteira do corte apresentado pelo governo para a projeção de crescimento da economia este ano a 0,81%, sobre 1,6% anteriormente, chamando atenção para a lentidão da economia em função de choques e com os investimentos em compasso de espera pela reforma da Previdência.

Economistas

O levantamento semanal apontou ainda que a expectativa para a alta do IPCA este ano é de 3,82%, ante 3,80% antes. Para 2020 a conta caiu em 0,01 ponto, a 3,90%.

O centro da meta oficial de 2019 é de 4,25 por cento e, de 2020, de 4 por cento, ambos com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

A pesquisa semanal com uma centena de economistas mostrou ainda que as perspectivas para a taxa básica de juros permanecem em 5,50% ao final de 2019 e 6,00% em 2020. Atualmente a Selic está no piso histórico de 6,5 por cento.

O Top-5, grupo dos que mais acertam as previsões, também vê a Selic a 5,5% este ano, mas elevou a estimativa em 2020 a 6,25%, de 6,00%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *