Lewandowski compara urna eletrônica a uma simples calculadora

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado sábado, 24 de setembro de 2022 as 16:04, por: CdB

O sistema que dá suporte às urnas eletrônicas, afirmou ele, é muito menos complicado, e igualmente seguro. O magistrado lembrou que, há poucos meses, conversou sobre as urnas eletrônicas com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Por Redação – de São Paulo

Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski fez uma defesa veemente da democracia, do sistema eleitoral e da confiabilidade das urnas eletrônicas, em palestra para empresários em São Paulo do grupo Esfera Brasil, na noite passada. Em sua fala, ele disse que os próprios ouvintes, que comandam grandes negócios, confiam em sistemas muito mais complexos para fazer a transferência de valores bilionários, em escala muitas vezes mundial.

Urna eletrônica
A confiança no sistema brasileiro de votação, com a urna eletrônica, tem crescido na reta final das eleições

O sistema que dá suporte às urnas eletrônicas, afirmou ele, é muito menos complicado, e igualmente seguro. O magistrado lembrou que, há poucos meses, conversou sobre as urnas eletrônicas com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

— Eu falei: ‘O senhor que é economista, que transmite ou transfere enormes somas de dinheiro, o senhor alguma vez duvidou do sistema (financeiro), uma caixa preta, digamos assim, muito mais complexo do que a urna eletrônica?’ — questionou Lewandowski.

Calculadora

Segundo o ministro, as urnas são “maquinhas muito simples”, que podem ser comparadas às que comerciantes usam em seus pontos de venda.

— Não têm segredo nenhum. Quando vamos a uma loja, vemos o lojista calculando o valor, e nunca duvidamos daquela somatória. Por que haveríamos de duvidar dessa maquininha (a urna eletrônica) de calcular, que no momento de sua operação está totalmente desvinculada da internet? — concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *