Líder da esquerda francesa presta tributo ao ex-presidente Lula

Arquivado em: América Latina, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado domingo, 8 de abril de 2018 as 18:21, por: CdB

Melenchon não é o único líder de esquerda a prestar tributos ao ex-presidente Lula. Expoentes da esquerda internacional visitarão Lula em Curitiba.

 

Por Redação, com agências internacionais – de Paris

 

O líder da esquerda francesa, no movimento França Insubmissa, Jean-Luc Mélenchon citou a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em um discurso. Ele afirmou que ele foi vítima de “golpe judicial” por meio da Operação Lava Jato. Ele também chamou Lula de “camarada” e pediu que ele aguente firme a pressão a que vem sendo submetido.

— Nossa corrente, que se diz derrotada e perdida, foi golpeada duramente, especialmente na América Latina, onde você está vendo agora um golpe judicial contra Lula — afirmou Mélenchon.

Líder da esquerda francesa, Mélenchon critica o Judiciário brasileiro
Líder da esquerda francesa, Mélenchon critica o Judiciário brasileiro

Ele ressaltou que Lula lidera as pesquisas de intenção de voto à Presidência da República. O líder francês também qualificou como “corruptos” os opositores de Lula.

— Quando eles não conseguem eliminar um candidato, eles botam na cadeia — afirmou.

Vigília

Melenchon não é o único líder de esquerda a prestar tributos ao ex-presidente Lula. Expoentes da esquerda internacional visitarão Lula em Curitiba, onde está preso desde a noite deste sábado.

“Já estão sendo programadas visitas de líderes internacionais”, informou em nota neste domingo o Comitê Popular em Defesa de Lula e da Democracia, que representa o campo progressista – sindicatos; centrais sindicais e movimentos sociais.

As frentes devem transformar a capital paranaense em seu centro político. Na segunda-feira, o PT fará a próxima reunião de sua executiva na cidade. Os dirigentes estão convocando a militância para fazer vigília permanente na cidade.

A direção do partido adotará o discurso de que Lula é um preso político. “Não vamos sair de Curitiba. Nossa prioridade é a libertação dele”, diz a senadora Gleisi Hoffmann (PR), presidente da sigla.

Assista ao pronunciamento de Mélenchon:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *