Líder do governo é processado por tráfico de influência e ganhos ilícitos

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 11 de agosto de 2021 as 17:09, por: CdB

Ex-governadora do Paraná, a mulher e sócia do parlamentar, Cida Borghetti (PP-PR) também foi citada como ré na ação, acusada de usar o cargo público e a influência política para benefício pessoal e patrimonial. Barros será ouvido pela CPI da Covid nesta quinta-feira.

Por Redação – de Brasília

O Ministério Público Federal (MPF), no Estado do Paraná, abriu um processo de improbidade contra o deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo Bolsonaro na Câmara, pela possível pratica de tráfico de influência em setores de municípios e Estados; além de destinar verba pública de emendas parlamentares para favorecer empreendimento imobiliário em que ele teria comissão sobre as propriedades vendidas.

Ricardo Barros é o líder do governo do presidente Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados

Ex-governadora do Paraná, a mulher e sócia do parlamentar, Cida Borghetti (PP-PR), foi citada como ré na ação, acusada de usar o cargo público e a influência política para benefício pessoal e patrimonial. Barros será ouvido pela CPI da Covid nesta quinta-feira. O deputado passou a ser alvo da comissão após ter sido citado pelo deputado federal Luis Miranda (DEM-DF).

Durante o depoimento à CPI, Miranda e seu irmão, o servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo, revelaram que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi avisado sobre supostas irregularidades na compra da vacina Covaxin. Ao ouvir a denúncia, o mandatário teria citado Barros, segundo Miranda, por seu envolvimento com o caso.

Requerimento

O inquérito sobre o empreendimento imobiliário foi aberto a partir de uma reportagem do diário conservador paulistano Folha de S. Paulo (FSP), em fevereiro de 2017. A apuração revelou que Barros comprou metade de um terreno no valor de R$ 56 milhões apesar de ter patrimônio de R$ 1,8 milhão declarado à Justiça eleitoral.

À época, Barros disse que fez um empréstimo de R$ 13 milhões de seu sócio na transação, a empresa do setor imobiliário Paysage Marialva Empreendimentos, para pagar a aquisição do imóvel no ano de 2014, em Marialva (PR). Em 2014, Barros ocupava o cargo de secretário de Indústria e Comércio do Paraná e foi candidato a deputado federal.

Foi eleito e, em 2015, apoiou, por meio de um requerimento, a liberação de R$ 450 milhões de emenda da União para a construção da obra rodoviária Contorno Sul da região metropolitana de Maringá, que fica a 3 km do imóvel.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code